Chove em 5 municípios de MT após meses de estiagem

Arquivo Pessoal

Os moradores de Alta floresta, Paranaíta, Nova Bandeirantes, Guarantã do Norte e Lucas do Rio Verde comemoram a chegada da chuva, nessa quarta-feira (18), após meses de estiagem. Em Guarantã do Norte, por exemplo, moradores relataram que não havia registro de chuvas com grandes volumes há quase um ano.

Em Alta Floresta, houve chuva de vento por cerca de 30 minutos, mas sem estragos. — Foto: Leir Ribeiro/Arquivo pessoal

A moradora de Guarantã do Norte Jaíne Aparecida afirmou que o tempo seco e a poeira estavam causando danos à saúde e que, com a chuva, já deu para perceber a melhoria na umidade relativa do ar.

“Foi uma chuva com bastante volume de água. Começou pela manhã e parou por volta do meio dia. Durante a tarde voltou a chover. O clima continua quente, mas a umidade melhorou”, disse.

Municípios enfrentaram meses de estiagem — Foto: Richard Montecinos/Arquivo pessoal

Municípios enfrentaram meses de estiagem — Foto: Richard Montecinos/Arquivo pessoal

Em Alta Floresta, não chovia há mais de quatro meses. Segundo a prefeitura, na tarde de quarta-feira, houve chuva com vento por cerca de 30 minutos, mas sem estragos.

A prefeitura afirmou que também choveu nos municípios vizinhos, Paranaíta e Nova Bandeirantes.

Outra cidade em que não chovia há meses e choveu na tarde de ontem é Lucas do Rio Verde.

Previsão até o fim de semana:

  • Alta floresta: mínima 21°C e máxima 41°C
  • Paranaíta: mínima 21°C e máxima 38°C
  • Nova Bandeirantes: mínima 21°C e máxima 36°C
  • Guarantã do Norte: mínima 18°C e máxima 41°C
  • Lucas do Rio Verde: mínima 21°C e máxima 39°C
  • Rondonópolis: mínima 26°C e máxima 38 °C

Já em Cuiabá não chove há mais de quatro meses e não tem previsão de chuva de grandes volumes até o fim deste mês.

A previsão, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), é de que ocorram pancadas de chuvas isoladas no sábado (21). No entanto, as temperaturas devem continuar variando entre 25°C e 40°C.

A umidade relativa do ar também permanece abaixo da média, com um índice entre 18% e 38%.