CBF e Kingdomway Sports: parceria para levar modelo de futebol à China

CBF e Kingdomway Sports: parceria para levar modelo de futebol à China
Laís Torres/CBF

Uma manhã histórica na Casa do Futebol Brasileiro. Neste 29 de janeiro, a CBF e a empresa chinesa Kingdomway Sports formalizaram contratos para promover o ensino do futebol brasileiro na capacitação de treinadores e crianças e adolescentes na China pelos próximos 15 anos.

Este é o primeiro acordo de transferência de conhecimento e know-how firmado pela CBF com um país estrangeiro e um dos mais relevantes já celebrados pela China neste setor.

O acordo prevê a utilização de toda a metodologia criada pela CBF Academy, em suas áreas de capacitação, que incluem a certificação de treinadores, treinadores de goleiros, preparadores físicos, entre outros. Inicialmente, o processo se dará com a aplicação da Licença C, voltada para professores e treinadores em escolas de iniciação para crianças e adolescentes. Os chineses também aplicarão a metodologia da CBF School, a escolinha de futebol oficial da Seleção Brasileira.

A assinatura do contrato teve a presença de representantes dos governos brasileiro e chinês, em cerimônia dividida em duas etapas. Na noite de segunda-feira (28), em Brasília, na sede do Ministério da Cidadania, responsável pelas áreas de Cultura, Esporte e Desenvolvimento Social, o Ministro Osmar Terra, recebeu a comitiva da CBF, com a presença do CEO da entidade, Rogério Caboclo, e do Secretário-Geral Walter Feldman. A China foi representada pela embaixada no Brasil e pelo presidente e CEO da Kingdomway Sports, Wu Lei.

O ministro Osmar Terra ressaltou a importância de mais uma fundamental parceria entre os dois países:

– O esporte é um elo a ser reforçado entre esses dois povos. Tive a oportunidade de conhecer todo o projeto, e tenho certeza que a CBF Academy tem muito a contribuir para o desenvolvimento do futebol na China, a partir deste desejo do governo chinês de que o futebol seja praticado em todas as escolas do país.

A segunda etapa do encontro foi realizada no auditório da CBF, na manhã desta terça-feira, com a presença do Secretário Especial de Esportes do governo brasileiro, general Marco Aurélio Vieira; do Cônsul Geral da China no Rio de Janeiro, Li Yang; do presidente da Associação Chinesa no Brasil, Zhang Wei; e do presidente do Centro Cultural da Ásia em São Paulo, Fang Sanjing e de Wang Xiaojun – Presidente da Câmara de Comércio Brasil China.

– O Governo enxerga com muito bons olhos essa parceria. A China está dando um grande passo para ter um futebol de grande nível em seu país. E nós temos muito a aprender sobre como o chinês vai estruturar o projeto de promover o futebol nas escolas de todo o país. É um momento histórico e o governo quer participar ativamente. – ressaltou o secretário Marco Aurélio Vieira.

Presidente e CEO da Kingdomway, Wu Lei, afirmou que, sem dúvida, o futebol é um dos carros chefes do Brasil e por isso a China veio buscar essa experiência qualificada. Ele ressaltou que a missão da empresa é desenvolver o futebol de qualidade em seu país, e também trabalhar o desenvolvimento dos valores fundamentais da educação por meio do esporte.

As conversas para o início da parceria começaram há dois anos, para atender à meta do governo chinês de levar o ensino do futebol para todas as escolas. A CBF Academy vai treinar e capacitar os profissionais locais para trabalharem nessas escolas, o que promoverá uma série de oportunidades de trabalho para muitos treinadores brasileiros.

Para Rogério Caboclo, o projeto é extremamente positivo. “É uma oportunidade ímpar para expor a marca do futebol brasileiro no maior mercado do mundo.”

De acordo com Reynaldo Buzzoni, diretor de Registro, Transferência da CBF, em breve, treinadores certificados pela CBF que já falam inglês, por exemplo, poderão seguir para o país asiático e participar dos primeiros passos da parceria.

– Estávamos trabalhando há dois anos nesse acordo. É o primeiro contrato internacional da CBF com essas características. Trabalho muito bem feito e com a participação de todo o corpo diretivo da entidade, comentou Walter Feldman, Secretário Geral da CBF.