Câmara aprova convênio entre Santa Casa e prefeitura

| s.j. povo | vereador tenta destravar obras da rodovia do leite

A Câmara de Rondonópolis realizou uma Sessão Extraordinária, proposta pelo executivo municipal, com a finalidade de aprovar um convênio entre a Santa Casa e a Prefeitura. O valor do convênio pode chegar a R$ 3.538.417,38, pagos em duas parcelas, com vigência de dois meses, podendo ser prorrogado por igual período. O recurso será para pagar profissionais que atendem na urgência e emergência. O pedido para a sessão foi feito na segunda-feira (13) não permitindo que a Casa de Leis pudesse seguir o trâmite que o regimento pede e isso não agradou aos parlamentares.
Segundo Roni Magnani (PP) é preciso mais organização por parte da gestão. “O projeto chegou duas horas antes da sessão e só acatamos o pedido porque atende a cidade como um todo, porque o projeto é de interesse de todos. Mas é preciso respeitar o parlamento, é preciso saber que aqui há um regimento e ele deve ser seguido. Encaminhar projeto aos 45 do segundo tempo para que votemos sem lermos, sem apreciarmos, não pode acontecer”, defendeu.
O vereador e presidente da Câmara de Rondonópolis, Rodrigo da Zaeli (PSDB), também não aprovou a atitude do executivo. Segundo ele, este será o último projeto votado a toque de caixa. “Vamos respeitar o trâmite regimentar que a casa pede. Não sabíamos nem o que seria votado, pois o projeto chegou um pouco antes da sessão. Fora o pedido, que veio ontem, no final do expediente. Os vereadores vieram porque têm compromisso com a cidade, só por isso”, falou.
Já Fábio Cardoso (PPS) lembrou que, neste ano, já foram realizadas mais sessões extraordinárias do que ordinárias. “Não nos furtamos de colaborar, ainda mais diante de projetos como este. Mas é preciso que saibamos antes quais são os projetos para que possamos discuti-los e propormos sugestões, caso seja necessário. Quando fiquei sabendo do que se tratava o documento eu fui o primeiro a votar pela urgência”, argumentou.
O projeto foi aprovado por todos os presentes e deve ser sancionado pelo prefeito Zé Carlos do Pátio.