Brasil vence na estreia do Sul-Americano de Beisebol em Cuiabá

em partida de futebol para anões, argentina derrota peru

O Beisebol pode ser um esporte novo no Brasil, mas para quem cresceu vendo os avós e pais praticando a modalidade a sensação que fica é outra. Essa paixão está na fala, no olhar, no sofrimento e na comemoração. Detalhes que fizeram da estreia do XIII Sul-Americano de Beisebol um momento único na história de Cuiabá. O Campo dos Sonhos honrou o nome, neste sábado, com a bela vitória de 15 a 5 da Seleção Brasileira sobre o Peru.

O pequeno Lucas Oshikwa, de 12 anos, é um dos torcedores apaixonados que está acompanhando o campeonato. Ele joga desde os 8 anos de idade, quando um colega de colégio o convidou para ir até o campo e conhecer o esporte. “Eu gostei e não parei mais. Meu sonho é entrar para a Major League Baseball ou, pelo menos, chegar até uma equipe grande”, disse o garoto que já levou a mãe e o pai para o esporte.

A união da família parece ser a característica principal do Beisebol que reúne tantas gerações em torno de um mesmo objetivo. A médica, Angela Nakao, diz que já é tradição na família se reunir para jogar beisebol, o que explica a ansiedade dela na arquibancada durante a partida do Brasil. “Eu já estou sem voz, minhas mãos estão tremendo, é muita emoção”, confirmou ela com os olhos fixos no gramado.

Ela, que jogou cinco anos na modalidade Softbol, conta que conheceu o esposo em um dos encontros promovidos pelo esporte. “Casamos e tivemos filhos e nunca deixamos de participar dos encontros. Com as minhas amigas foi a mesma coisa. Nosso sonho é continuar transmitindo o esporte e alimentando esse espírito da família”.

O sentimento é tanto que o técnico da equipe de Mato Grosso, Shingo Kakishita, que veio do Japão especialmente para treinar a equipe cuiabana, disse que tem algo diferente no Brasil. “Não se trata de técnica, é como se as pessoas jogassem com o coração”. Ele evidenciou, ainda, a união como uma característica dos brasileiros, assim como a esperteza e o improviso. “São detalhes que tornam o esporte ainda mais especial por aqui”.

Melhores momentos

O começo da partida entre Brasil e Peru revelou a ansiedade das duas equipes. O jovem arremessador, Renan Ishihara, parecia estar com dificuldades de controlar o ataque adversário, do outro lado, os arremessadores peruanos também não entraram bem, cedendo muitos walks e consequentemente pontos.

A Seleção Brasileira abriu 5 pontos de diferença, porém com um grand slan da equipe Peruana, o jogo ficou empatado em 5 x 5, até o meio da partida. Foi então, que a força dos atletas brasileiros voltou a ser sentida. Com o apoio da torcida e as trocas cruciais do técnico cubano, Luis Cobas, a seleção conseguiu virar o placar e ainda conquistar uma boa vantagem.

Entre os destaques da partida, estão Luis Camargo, que marcou um home run e Allan Fanhoni com dois home runs. As rebatidas do primeiro rebatedor, Lucas Rojo, e do terceiro rebatedor Tiago Magalhães. Os double plays dos defensores Felipe Burin (3b) e Lucas Rojo (2b) e, também, a recuperação em cima do montinho do jovem arremessador Vitor Souza, tendo seu trabalho complementado por Rafael Miranda.

O secretário-adjunto da Secretaria de Estado Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), Pedro Sinohara, participou da abertura oficial representando o Governo de Mato Grosso. Ele destacou a importância do apoio a campeonatos como o Sul-Americano. “É uma oportunidade de popularizar a modalidade e inspirar crianças, fazendo do esporte uma ferramenta para incluir e formar cidadãos, além de proporcionar lazer para a sociedade num ambiente em que toda família pode se divertir”.

Também apoiam o evento a Prefeitura Municipal de Cuiabá e a Prefeitura Municipal de Várzea Grande e as empresas Açofer, Sushibox, Fisk, Hotel Taiamã, Frigorifico Frical e Comercial Uemura, Atacadão, Flechatur, SESI, e Chiroli Uniformes.

A partir deste domingo (01/03), os jogos serão mais cedo. Pela manhã, a partir das 8h30, jogam Argentina e Brasil e a partida da tarde, com início às 12h, será entre Bolívia e Colômbia. A entrada é franca.