BR-163 tem 110 veículos quebrados por dia

| guiratinga | prefeitura amplia distribuição de água no distrito do alcantilado

Com pouco mais de 10 meses de trabalhos, o Sistema de Atendimento ao Usuário (SAU) da Concessionária Rota do Oeste registra 33.111 socorros mecânicos, 40% do total de 83 mil ocorrências atendidas no período. De falta de combustível e pneu furado até superaquecimento e pane de motor, todos os veículos que possuem algum problema e, por isso ficam parados na rodovia, contam com o apoio da equipe de atendimento. São cerca de 150 profissionais disponíveis 24 horas por dia ao longo de 850 quilômetros da BR-163 em Mato Grosso.

Os trabalhos da Concessionária têm por prioridade a segurança do usuário e por isso viabiliza a solução do problema, quando simples, como pneu furado ou bateria arreada, ou a remoção do veículo da rodovia o mais rápido possível para evitar exposição ao risco. “Apoiamos o condutor na troca de um pneu, quando é o caso, ou removemos o veículo até um lugar de apoio seguro onde ele possa buscar meios próprios para o conserto ou locomoção”, explica o gerente de Tráfego Fernando Milléo.

As panes mecânicas, que englobam defeitos de motor, embreagens, freios e rolamento, são as que possuem maior número de registros, com 20.767 ocorrências. Muitos deles poderiam ser evitados caso alguns cuidados fossem adotados antes de pegar a estrada.

Fernando Milléo explica que só o fato de fazer manutenção preventiva regularmente elimina grande parte das possibilidades de um incidente ocorrer. “O veículo que passa por revisão periódica e mantém itens como óleo de motor, filtros e correias em dia tem menos chances de ficar parado no meio do caminho”, explica.

Outros itens que precisam estar sempre em dia são os pneus, a bateria e o tanque de combustível. Quase 10% dos atendimentos realizados pela Concessionária foram causados por falta de combustível, a chamada ‘pane seca’. Não checar o nível do tanque e contar com a sorte para chegar até o próximo posto pode ser arriscado, isso sem falar que parar por falta de combustível é infração considerada média pelo Código de Trânsito Brasileiro e implica em multa de R$ 85 mais quatro pontos na carteira de motorista.

“A média de postos na BR-163 é de um a cada 15 quilômetros de rodovia, porém a maioria está próxima dos perímetros urbanos e temos locais que não há nenhum posto em um raio de 50 quilômetros”, afirma Fernando Milléo. Em casos de pane seca, o motorista é levado pelo veículo de inspeção da Rota do Oeste até o posto mais próximo para a aquisição de combustível.

Nos casos de defeitos, o apoio da Concessionária pode ser realizado de duas formas. Com o auxílio do operador no caso de problemas mais simples como falta de bateria e pneu furado, ou com a remoção do veículo até o ponto seguro mais próximo do local, onde o motorista poderá acionar um serviço especializado ou solicitar transporte particular até o município de destino.

Todos os serviços de socorro mecânico oferecidos pela Rota do Oeste são gratuitos, porém restritos ao trecho sob concessão da rodovia, sendo proibido o deslocamento da equipe para outras rodovias ou imediações da BR-163.

Segurança

Para evitar que um veículo parado provoque acidentes, é indispensável adotar algumas medidas de segurança. A primeira recomendação ao perceber qualquer defeito no carro é procurar o local mais longe da pista, quando possível na faixa de domínio, para estacionar. Até mesmo no acostamento, ficar parado pode ser perigoso.

Depois de parar, o motorista deve utilizar os recursos disponíveis para sinalizar o local, como manter o pisca-alerta ligado e fixar o triângulo na rodovia. Por último, a recomendação é que todos os passageiros e o motorista procurem um lugar seguro para esperar o socorro, de preferência longe do tráfego de veículos.