Bombeiro que resgatou mãe e bebê de poço vai carregar a tocha olímpica em MT

bombeiro que resgatou mãe e bebê de poço vai carregar a tocha olímpica em mt

O sargento do Corpo de Bombeiros de Cáceres, a 250 km de Cuiabá, Dirlei Correia Medeiros, foi uma das 131 pessoas escolhidas para conduzir a tocha olímpica em Mato Grosso. Dirlei ficou conhecido na região após resgatar uma mãe e um bebê recém-nascido de um poço com 12 metros de profundidade, há 10 anos.
A história de salvamento deu ao sargento a oportunidade de carregar a tocha após um concurso realizado por patrocinadores dos Jogos Olímpicos Rio 2016.
Dirlei contou que a mãe amamentava o filho sentada à beira de um poço no quintal de casa, quando se desequilibrou em um tijolo solto e os dois caíram. Enquanto esperava o resgate, que demorou cerca de 10 minutos, a mãe se equilibrou pressionando a cabeça e os pés contra as paredes do poço, segurando o bebê em cima da barriga.
“Chegamos preparados, pois acompanhávamos a situação via rádio, então desci de cabeça no poço. Resgatei primeiro a criança. A mãe, ao ver a criança salva, desmaiou e afundou na água. Desci rapidamente, mergulhei e consegui realizar o resgate”, relatou.
“A mulher estava muito machucada, mas o bebê não tinha nenhum arranhão”, afirmou o sargento.
A notícia de que Dirlei seria um dos integrantes da equipe que vai carregar a tocha olímpica no estado causou euforia na família. “Nós ficamos muito felizes porque ele realmente merece. Meu filho nunca mediu esforços e faz qualquer coisa para salvar as pessoas. Já entrou em muitos lugares que ninguém tinha coragem de entrar”, contou a mãe do bombeiro, Alice Correia, orgulhosa.
“Ele nasceu para ser bombeiro, dedica a vida para salvar a vida dos outros e só fica satisfeito quando vê as pessoas salvas”, disse. A mãe ainda conta que o filho já salvava vidas antes mesmo de ser bombeiro. Aos 4 anos, ele resgatou a irmã mais nova que havia caído dentro de um córrego de esgoto. E, aos 16, pulou em uma lagoa para salvar um menino que se afogava.
O sargento revelou que sempre teve vontade de fazer parte do Exército ou da polícia. Aos 17 anos, se alistou no Exército e, aos 18, ingressou para o Corpo de Bombeiros. Hoje, com 22 anos de serviço, já realizou inúmeros resgates arriscados e partos de emergência. “Realizamos um parto numa residência sem luz. A única iluminação vinha da viatura”, lembrou.
Pela atuação como bombeiro, recentemente Dirlei foi homenageado pela Câmara de Vereadores de Cáceres e pelo Corpo de Bombeiros.
A tocha olímpica chega a Cuiabá no próximo dia 23. Um total de 131 pessoas terão a oportunidade de carregá-la por 200 metros cada uma. A tocha deve sair do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana da capital, passando pelos principais pontos turísticos e monumentos históricos das duas cidades até chegar à Arena Pantanal, onde haverá um show de encerramento e será acesa a Pira Olímpica.
Ao todo, a tocha deverá percorrer 19,7 mil km de rota terrestre e 8,8 mil km de rota aérea, em até quatro cidades por dia. Inicialmente, foram escolhidos 82 municípios brasileiros onde a Tocha Olímpica deverá pernoitar, entre eles Cuiabá.