“Boa infraestrutura muda a realidade e melhora a vida das pessoas”, destaca secretário

Picture of Secom-MT

Secom-MT

Secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira destacou os desafios da Sinfra - Foto: Marcos Vergueiro/Secom-MT

“Boa infraestrutura muda a realidade e melhora a vida das pessoas”, destaca secretário

Este ano, a Sinfra executa mais de 970 km de asfalto novo e outras obras de infraestrutura, como construção de pontes e do Hospital Júlio Müller

Compartilhe:

O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Marcelo de Oliveira, destacou que, quando bem executadas, as obras de infraestrutura mudam a realidade e melhoram a qualidade de vida da população. Para o gestor, as melhorias também contribuem para o crescimento socioeconômico do Estado.

“Mato Grosso é o Estado que mais cresce no país. Cada rodovia que asfaltamos, em pouco tempo se transforma em uma nova fronteira para nossa produção. Não se trata apenas de asfaltar rodovias. É preciso integrar os modais, auxiliar no crescimento do Estado e no bem-estar da população, oferecendo uma infraestrutura de qualidade”, observou.

Marcelo também destacou que a Sinfra tem a missão de concluir a implantação de 5.500 quilômetros de asfalto novo até o final da gestão, em 2026, e comentou sobre as importantes obras realizadas na Capital.

Confira a entrevista na íntegra:  

Secom – Secretário, a atual gestão do Governo ficou conhecida por ter feito 2,5 mil quilômetros de asfalto no primeiro mandato e iniciou o novo mandato com o desafio de superar essa marca e chegar a um total de 5.500 km até 2026. Quantos quilômetros já foram asfaltados em 2023 e por que é importante que o Governo tenha o asfaltamento como uma de suas metas?

Marcelo – Neste ano vamos fechar com mais 950 quilômetros asfaltados, chegando a 3.455 km em cinco anos. Temos mais 970 km em execução e 923 km que vão entrar em processo de licitação. Estamos no caminho para superar essa meta de 5.500 km. É importante investir em asfalto porque todos os cidadãos têm direito de transitar por rodovias em boa qualidade, de realizar seus deslocamentos com tranquilidade. A boa infraestrutura muda a realidade e melhora a vida das pessoas, por isso as estradas são importantes para todos. Elas são utilizadas pelo estudante que vai para a escola, pelo paciente que precisa ir fazer um tratamento médico, pelo agricultor que precisa escoar sua produção, pelo turista que está em lazer, mas principalmente, por todo o cidadão que tem garantido o seu direito de ir e vir.

Secom – Em 2019 eram 38 municípios do Estado que não tinham nenhum tipo de acesso por rodovia pavimentada. Atualmente, quantas dessas cidades a Sinfra já conseguiu interligar por ruas asfaltadas?

Marcelo – Nós finalizamos as obras em 18 desses municípios e outros oito têm obras já em andamento, como é o caso de Paranaíta, Gaúcha do Norte e os municípios que vão ser ligados pela antiga BR-174. É importante lembrar que temos 12 municípios no Norte Araguaia que dependem das obras do Governo Federal para finalizar a BR-158. Mesmo assim, também tomamos medidas para melhorar o acesso desses municípios com a MT-322 ligando Bom Jesus do Araguaia diretamente a BR-158.

Secom – O senhor já atuou na Prefeitura de Cuiabá quando, à época, o governador Mauro Mendes era prefeito, e agora, como secretário de Estado, continua realizando diversas obras na Capital. Para o senhor, qual é a principal melhoria que o Estado leva aos cuiabanos?

Marcelo – Na infraestrutura nós podemos destacar os investimentos em mobilidade, com o Sistema BRT, a nova ponte no Parque Atalaia, a Avenida Parque do Barbado. Também teremos dois grandes hospitais na Capital, um deles construído pela Sinfra, que é o novo Hospital Universitário Júlio Müller. Assim como o Hospital Central, são duas obras que estavam paradas há décadas, que envergonhavam a população, mas que em breve serão entregues. Serão os dois maiores hospitais de Mato Grosso, um feito enorme pelo governador Mauro Mendes.

Obras Hospital Central de Cuiabá
Créditos: Antônio Pinheiro/Secom-MT

Secom – Ainda em Cuiabá, a Sinfra ficou com a missão de terminar as obras da Copa do Mundo de 2014 e teve que consertar algumas que foram mal feitas. Atualmente, como está o andamento desses trabalhos?

Marcelo – São oito obras que estavam paralisadas quando nós assumimos a gestão, mais de quatro anos depois da Copa do Mundo. Desde o primeiro dia tomamos medidas para solucionar esses problemas e todas as obras já tiveram um andamento. A Avenida Parque do Barbado, o COT da UFMT, a Trincheira Jurumirim e o Complexo Viário do Tijucal já foram entregues. A Avenida Archimedes Pereira Lima e o Hospital Universitário estão com obras bem avançadas. Também chegamos a uma solução para o transporte com o Sistema BRT e a última retomada foi o COT do Pari, que será transformado em um Centro de Treinamento para as forças de segurança.

Secom – Já no interior do Estado, a Sinfra executa, entre tantas ações, um programa de implantação de pontes de concreto para auxiliar na logística, com meta de entregar 273 pontes até 2026. Qual é o impacto dessas pontes para essa população do interior?

Marcelo – Eu sempre digo que as pontes de madeira e balsas são um obstáculo para o desenvolvimento regional. Pontes de madeira têm um limite de peso, então não é qualquer caminhão que pode passar por elas. Elas também precisam ser constantemente reformadas e nem sempre é fácil encontrar as toras de madeira do tamanho necessário para essa manutenção. Portanto, quando você elimina uma ponte de madeira, você também preserva o meio ambiente, árvores deixam de ser cortadas para fazer essa manutenção.

Já as balsas geram longas filas de espera, um atraso enorme para todos. A ponte muda essa realidade. É só ver a ponte que construímos sobre o Rio das Mortes, como mudou a vida das pessoas em Cocalinho. A ponte sobre o Rio Juruena, com 1.360 metros, vai fazer muita diferença para todo o norte e noroeste de Mato Grosso, vai permitir uma ligação entre regiões que antes estavam isoladas.

Secom – Outro programa da Sinfra é o MT Iluminado, por meio do qual o Estado entrega lâmpadas de LED para os municípios mato-grossenses. Qual é o principal benefício da LED para os municípios?

Marcelo –
 As luminárias de LED são mais eficientes, econômicas e duráveis do que as de vapor de sódio. São um grande ganho para a administração pública. Esse é um ponto. Mas o principal é o bem estar da população. Já são mais de 200 mil luminárias instaladas no Estado e a diferença que elas fazem para o conforto, para a segurança de toda a população é perceptível. Em todos os municípios que eu vou os prefeitos relatam o impacto que a iluminação de LED trouxe para as pessoas que vivem nessas cidades.

Christiano Antonucci/Secom-MT

Secom – O Governo do Estado autorizou, nesta gestão, a primeira ferrovia estadual, que já está sob concessão da Rumo Logística. Como esse novo modal vai impulsionar o desenvolvimento de Mato Grosso?

Marcelo – 
Hoje nós temos o maior rebanho bovino, somos os maiores produtores de grãos, de etanol de milho e vamos continuar crescendo. Apenas as rodovias não vão dar conta de transportar toda essa nossa produção. A ferrovia vai melhorar a logística de regiões produtoras, nos ligando diretamente até o Porto de Santos. Os caminhões não vão mais precisar percorrer longos trechos pelas estradas, o que diminui o trânsito, barateia o frete e ainda melhora a segurança nas estradas. Há ainda o aspecto da geração de emprego, renda e o desenvolvimento dos municípios, em especial os que estão na margem do traçado. Mas eu não posso deixar de dizer, como cuiabano, que a capital é o maior mercado consumidor do Estado e que a chegada dos trilhos em Cuiabá é esperada há mais de 100 anos. Essa é uma vitória do Governo do Estado, do trabalho realizado pelo governador Mauro Mendes, que veio para revolucionar Mato Grosso.

Secom – O BRT é assunto que está na alçada da Sinfra e que ainda gera dúvidas na população. Como está o andamento da obra e quando a população poderá ver o modal em funcionamento?

Marcelo – 
Quando falamos em BRT, temos que entender que ele não é só um veículo articulado. É um sistema de transporte com diversas características que garantem viagens mais rápidas para os passageiros. Serão utilizados veículos elétricos, com piso baixo, ou seja, sem degraus nas portas, o que garante embarques mais rápidos e facilitam a acessibilidade. Ainda sobre os embarques, nas maiores estações as passagens são validadas antes de entrar nos carros, o que diminui as filas. Os veículos usam uma faixa de circulação para eles, o que possibilita o transporte sempre com fluxo livre, sem congestionamento. Mas não é só isso. Há um sistema de inteligência, comunicação e monitoramento, que garante informações aos passageiros, com avisos sonoros nas estações e dentro dos carros. Enfim, uma série de elementos que compõem esse Sistema. Quanto às obras, no momento está sendo finalizada a concretagem das pistas nas Avenidas da FEB e João Ponce de Arruda, em Várzea Grande.

Secom – Quais os principais desafios da Sinfra para os próximos anos?

Marcelo – 
O desafio da Sinfra é conseguir acompanhar o desenvolvimento de Mato Grosso e, mais do que isso, ser protagonista deste desenvolvimento. Somos o Estado que mais cresce no país. Cada rodovia que asfaltamos, em pouco tempo se transforma em uma nova fronteira para a produção. Por isso eu sempre destaco o trabalho realizado pela equipe de planejamento da Sinfra. Porque não se trata apenas de asfaltar rodovias, ou construir pontes. É preciso integrar todos os modais, o rodoviário, o ferroviário e o aeroviário, criar novas rotas, auxiliar no crescimento do Estado e no bem-estar da população, oferecendo uma infraestrutura de qualidade.

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp