Bezerra defende rediscussão da dívida pública como solução para o País

taques cancela agenda em rondonópolis

Em pronunciamento feito nesta terça-feira, natribuna da Câmara, o deputado Carlos Bezerra (PMDB) destacou a necessidade de se proceder reformas de base urgentes (econômica, política e previdenciária). Bezerra defendeu a criação de uma frente parlamentar para discutir o auditamento da dívida pública do País, como vêm fazendo outros países, a exemplo do Equador e Grécia.

Disse que a política econômica é a mesma do governo Fernando Henrique Cardoso. “O sistema é um só, dos banqueiros surrupiando o País, cobrando juros sobre juros, o que é ilegal”. Há 50 anos o Brasil é espoliado, e eu não sei até onde vai isso.”

Bezerra falou da queda de 3,8% do Produto Interno Bruto nacional, anunciada semana passa pelo IBGE sendo este o pior resultado nos últimos 25 anos. Para o deputado, o governo do PT esqueceu seus principais compromissos. “Resolveram ficar no poder pelo poder!”.

A queda leva a economia do Brasil para o segundo pior desempenho entre os países da América Latina, ficando atrás apenas da Venezuela. E entre os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o Brasil deverá ter a queda mais acentuada.

Para Bezerra, “País empacou”, enquanto o governo insiste em manter uma política econômica totalmente equivocada e sem respaldo. “Uma renovação só lograria êxito com um programa sério nas reformas de base, seja na Previdência Social, na política econômica e na reforma tributária.”, afirmou.

Bezerra disse que a falta de uma política tributária eficiente está sufocando o crescimento do País, “porque, ao invés de diminuir a carga sobre quem está economicamente ativo, o governo faz é exatamente o contrário: aumenta os tributos.”

“Os Estados estão falidos, porque pagam juros absurdos por suas dívidas; os Municípios estão empobrecidos, vivem de pires nas mãos. É a falência do poder público, sendo que toda a estrutura está comprometida e bloqueia o crescimento nacional.” Disse Bezerra.

Quanto às reformas na Previdência, disse Bezerra que, caso não sejam feitas, o País estará inviabilizado a cada dia. “E as estatísticas indicam que, pasmem, a continuar esse sistema fragilizado, equivocado, teremos uma população de idosos pobres, sem assistência de qualquer espécie! Ou seja, o rombo no Orçamento, que aumenta a cada ano, poderá levar milhões e milhões de brasileiros à miséria.”, criticou.

Segundo Bezerra, o problema é que o governo não consegue governar, porque se vê sufocado para administrar a crise política com a questão do impeachment da presidente Dilma Rousseff, ao mesmo tempo em que se vê cercado pelas investigações da Polícia Federal com a operação Lava-jato.

Os problemas políticos, disse o deputado, impedem o enfrentamento da dívida pública e dos juros que são pagos por causa dela.

Dia Internacional da Mulher

Bezerra aproveitou para saudar a mulher, especialmente a mulher brasileira, pelas comemorações do seu Dia Internacional. Lembrou da PEC das Domésticas, de sua autoria, que levou à “libertação de aproximadamente oito milhões de trabalhadores, a maioria mulher.

Ele disse que o PMDB Mulher de Mato Grosso, atualmente presidido por Liamar Meira Barth, com o apoio da vice-presidente do PMDB Mulher da região Centro-Oeste, deputada Teté Bezerra, vem realizando um trabalho de incentivo à participação da mulher mato-grossense no processo político-partidário, com a realização de cursos promovidos em parceria com a Fundação Ulysses Guimarães.