Babá é condenada à prisão perpétua por matar duas crianças nos EUA

Lucia, de seis anos, e Leo, de dois, foram mortos pela babá (Foto: Reprodução/Livejournal)

A babá Yoselyn Ortega, de 56 anos, foi condenada na segunda-feira (14) à prisão perpétua por ter matado a facadas duas das três crianças de quem ela cuidava. O crime aconteceu em 2012, na casa da família, em Manhattan, nos Estados Unidos.

Em 25 de outubro daquele ano, a mãs das crianças, Marina Krim, voltou para casa após buscar sua filha numa aula de dança e encontrou os outros dois filhos, Leo, de dois anos, e Lucia, de seis, mortos na banheira ao lado da babá. O caso gerou comoção mundial.

Durante o julgamento, que durou seis semanas, a defesa da babá alegou que ela sofre de problemas psiquiátricos e disse que matou as crianças momento de loucura. Com lágrimas nos olhos, a mulher, que é dominicana, pediu desculpas em espanhol antes da decisão.

Apesar das alegações, que contaram com o testemunho de especialistas em saúde mental, o júri declarou a babá culpada pelos assassinatos. De acordo com a imprensa americana, o juiz Gregory Carro declarou que o crime foi um ato de “pura maldade” e disse que a babá não passa de uma “narcisista maligna”.

Yoselyn ficará atrás das grades sem possibilidade de tentar obter liberdade condicional.

Yoselyn durante julgamento (Foto: Reprodução)