Avião usado por candidata ao Senado está em dia com documentação e revisão; empresa abre investigação

Foto: Assessoria

O Sêneca Bimotor, prefixo PT-WIP, que carregava a candidata ao Senado, coronel Fernanda, o marido, o tenente-coronel Wanderson Siqueira, e mais três assessores, Noercy de Aquino, Luiz Henrique Menezes e Demetrinho de Arruda, pertence à empresa Aéreo Center Brasil Táxi Aéreo.

Foto: Assessoria

De acordo com a empresa que fez a locação, a aeronave está com a documentação em dia e a última revisão mecânica foi feita no mês passado.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O comandante Luís Fernando Freitas Cortês é experiente e tem mais de 1.300 horas de voo.




As informações da empresa são de que o avião, assim que decolou de Primavera do Leste (235 km de Cuiabá), perdeu potência no motor direito.

Foto: Assessoria

Com a perda de altitude, não foi possível que a aeronave pudesse fazer o reacionamento do motor.

Por conta dessa situação, o piloto foi obrigado a fazer um pouso forçado, de barriga, para garantir a segurança de todos os passageiros e tripulação em uma plantação, próxima do aeroporto do município.

Foto: Assessoria

O processo de investigação já foi aberto pela empresa, que já comunicou o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Fotos e vídeos do acidente foram encaminhados para o Cenipa, que liberou a aeronave para ser encaminhada para o hangar da empresa.

O acidente foi classificado como leve, onde só houve danos materiais.

A coronel Fernanda sairia de Primavera do Leste para cumprir agenda em Barra do Garças (500 km de Cuiabá).

Após o acidente, a militar comentou o ocorrido.

“Deus está comigo em todos os desafios, desde o dia que eu recebi o desafio do Presidente Bolsonaro, eu fui testada, eu estou sendo testada moralmente, e agora desse jeito”.

Foto: Assessoria

Após o susto, a comitiva da coronel Fernanda seguiu de carro para Barra do Garças.