Autoridades políticas lamentam a morte de Romoaldo Júnior

Picture of Assessoria

Assessoria

Autoridades políticas lamentam a morte de Romoaldo Júnior

Ex-deputado estadual faleceu no último domingo (17) em decorrência de um AVC hemorrágico.

Compartilhe:

O velório do ex-deputado estadual Romoaldo Júnior, realizado no Salão Negro da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), ocorrido na manhã desta segunda-feira (18), foi prestigiado por amigos, familiares e personalidades da política mato-grossenses. O corpo foi sepultado, às 10 horas, no cemitério Parque Bom Jesus de Cuiabá, localizado no Coxipó, na capital. 

O ex-deputado morreu aos 63 anos de idade. Ele estava tentando se recuperar de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico ocorrido na última quinta-feira (14), mas não resistiu ao tratamento e veio a falecer no início da tarde deste domingo (17), em Cuiabá. 

O presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, deputado Eduardo Botelho (União), lamentou a morte do ex-colega de Parlamento. “É uma perda inestimável. Convivi com ele dois mandatos. É um momento de muita tristeza e de sentimento para todo o Estado de Mato Grosso. Ele fez história na política, principalmente na defesa da população que vive no Norte do estado”, disse Botelho. 

A vice-presidente da Assembleia Legislativa, Janaina Riva (MDB), afirmou que Romoaldo Júnior era “carismático e acolhedor. Ele tinha sentimento e fazia política com o coração. Hoje, isso está mais raro. Não há mais político com tanta paixão e dedicação às coisas públicas”, Janaina disse também que Romoaldo era um entusiasta da região Norte. “Foi uma pessoa que viveu e respirou a Assembleia Legislativa. Por isso, ao sair desse círculo de pessoas, pesou muito. Ser deputado, era a vida dele”, disse a deputada. 

O governador do Estado de Mato Grosso, Mauro Mendes (União), lembrou que Romoaldo “foi um grande amigo e uma pessoa divertida”. Segundo Mendes, em seu primeiro mandato como governador, o parlamentar demostrava “uma forma extrovertida de fazer as leituras e abordagens políticas. Foi um grande líder da região Norte de Mato Grosso, dando grandes contribuições enquanto deputado”, afirmou Mendes. 

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, Max Russi (PSB), declarou que Romoaldo Júnior foi uma “boa pessoa, um bom amigo, um cara alegre e cumpridor dos compromissos. Era muito agregador. Foi uma pessoa diferenciada. É uma grande perda à política de Mato Grosso. Quando não se candidatou ao cargo de deputado, nas eleições de 2022, foi uma perda para o Parlamento e para Mato Grosso”. 

O senador Jaime Campos (União) disse que Romoaldo Júnior não era apenas um amigo, mas também um irmão. “O conheci na década de 1980. Era empresário, depois vereador em Alta Floresta. Já em 1990, fiz o convite para ser deputado estadual. A sua trajetória política começou junto com a minha. Ele saiu ao cargo de deputado e eu a governador de Mato Grosso. Fomos eleitos. O convidei para ser líder do meu governo. Ele sempre lutou pelos interesses públicos de sua base política e de todo o estado. É uma perda muito grande à política e para Mato Grosso”, lamentou Jaime Campos.

Para o deputado Carlos Avallone (PSDB), o ex-colega de Parlamento foi um “ser humano especial. Por onde passava, tinha alegria. Brincava com todos. Foi um grande político e por isso vai deixar muita saudade. Como representante da região Norte, quando ocupou funções importantes na Assembleia Legislativa, passou a ter representatividade em todo o estado. Ele ultrapassou as fronteiras de Alta Floresta e se tornou cidadão de todo o estado”, destacou Avallone. 

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE), Sérgio Ricardo, afirmou que o conheceu durante dois mandatos de deputado estadual. “Discutimos muito política. Era uma pessoa muito boa, tinha a alma generosa. Era amigo de todo mundo. Era um pacificador. Fez política toda a vida. Foi um deputado que discutiu muito Mato Grosso. É um dos nomes que está marcado na história da política mato-grossense”, disse o conselheiro do TCE.

O deputado Dilmar Dal Bosco (União) destacou que Romoaldo Júnior foi “um líder e um dos grandes articuladores político do Parlamento estadual. Ensinou-me muito. Foi incansável na luta por melhorias da qualidade na saúde pública e na infraestrutura da região Norte e de todo o Mato Grosso”. 

Dal Bosco lembrou que nos próximos dias, o governo do estado vai inaugurar duas obras que tem a digital de Romoaldo Júnior. “A primeira é a construção do Hospital Regional de Alta Floresta, e a ponte sobre o rio Teles Pires, nas MT-419 e MT-208. Foi uma luta antiga de Romoaldo. Essas obras estão incluídas nos legados deixados por ele. Romoaldo faz parte da história política de Mato Grosso”, destacou o parlamentar. 

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp