Autoexame pode ser o primeiro passo para identificar câncer de boca

Aftas, machucados persistentes e até uma dentadura mal ajustada podem causar a doença

Especialista deve avaliar se as próteses dentárias estão bem moldadas à boca para evitar ferimentos (Foto: Hike Shaw/Unsplash)

A reabilitação dentária permite que uma pessoa volte a sorrir sem medo, devolvendo um ou vários dentes perdidos. A popularmente chamada dentadura exige atenção nos momentos de adaptação do paciente.

Composta por resina ou acrílico, materiais que se assemelham aos dentes naturais, a prótese deve ser ajustada corretamente por um protesista para que cumpra efetivamente suas funções.

Pacientes que fazem uso das próteses móveis devem ficar atentos para anormalidades na saúde da boca. Além dos fatores de riscos mais comuns, como o tabagismo e a ingestão de álcool, o mal posicionamento da peça também pode causar câncer bucal.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), foram diagnosticados 14.700 casos dos diferentes tipos de câncer de boca em 2018. Mais comum em homens na faixa dos 40 anos, o câncer pode manifestar-se na língua, gengiva, bochechas, céu da boca e lábios.

Orientação comum na identificação de câncer de mama, o autoexame também pode ser feito em toda a cavidade bucal de maneira simples. O dr. Victor Hugo Brochado, diretor da Oral Sin Implantes, explica o passo a passo.

“O autoexame é algo bem fácil e deve ser feito periodicamente. Com as mãos limpas, toque no céu da boca, bochechas e lábios. Com o auxílio da língua, percorra toda a extensão interna”, ensina.

“Desconfortos, feridas, aftas avermelhadas com o interior branco, que não cicatrizam em até 10 dias, são alguns dos sinais que devem ser examinados com cuidado por um especialista”.

O motivo pelo qual pessoas que fazem uso de dentaduras também devem ficar atentas é que ferimentos causados pela prótese podem evoluir para consequências mais graves.

“Se a dentadura provoca machucados, isso pode desencadear em maior produção de células pelo organismo, que pode evoluir para o quadro de câncer. Mesmo com o sorriso recuperado, é importante que o paciente visite o dentista periodicamente para checar eventuais desgastes na dentadura e gengiva”, afirma o especialista, que complementa que “essas orientações não são restritas aos usuários de próteses móveis. Todos devem ficar atentos a qualquer alteração ou relevo nos tecidos da boca. O diagnóstico precoce pode facilitar o tratamento e prevenir metástases”.

Para mais informações sobre câncer de boca, autoexame, prevenção e outras dicas, acesse: http://oralsin.com.br/prevencao-cancer-de-boca/

Sobre a Oral Sin: A Oral Sin é uma rede de clínicas odontológicas que une tecnologia e qualidade profissional em suas consultas e procedimentos. Eleita a Rede de Implantes N°1 do Brasil, pela Sin Implantes e pela Neodent, disponibiliza serviços nas áreas de próteses e implantes, ortodontia, periodontia, endodontia e estética dentária.

Atualmente, possui 205 unidades por todo Brasil e um corpo clínico de mais de 1.500 profissionais especialistas, entre avaliadores, protesistas e cirurgiões. Em 2019, a Oral Sin entrou para o Grupo SMZTO, maior holding de franquias do país, que traz a sua expertise de mercado para fortalecer o plano de crescimento da rede e de seus franqueados. Para mais informações, acesse: www.oralsin.com.br