Aumento de IPTU desagrada parte da sociedade e do mercado imobiliário em Rondonópolis

Aumento de IPTU desagrada parte da sociedade e do mercado imobiliário em Rondonópolis

Uma equipe de corretores de imóveis participou de reunião na Câmara Municipal de Rondonópolis na terça-feira (21.06) para discutir o aumento do IPTU encaminhado pelo prefeito para aprovação dos vereadores, por considerar que o aumento do IPTU está sendo feito de maneira injusta e parcial, transformando em “facções” de privilegiados e não privilegiados. Ou seja, de maneira desproporcional entre os moradores, afetando significantemente os que moram em locais mais valorizados de Rondonópolis.  

Por conta desse descontentamento, o presidente da Câmara, vereador Roni Magnani, solicitou que uma comissão fosse formada com representantes do Creci, vereadora Kalynka Meirelles e demais vereadores presentes para discutir o fato. Ficou acertado que algumas alterações serão avaliadas para depois o projeto seguir para aprovação. 

Segundo o presidente do Creci-MT, Claudecir Contreira, que na reunião foi representado pelo conselheiro federal Narciso Vites, “o prefeito de Rondonópolis e a Câmara Municipal (vereadores) estão de forma injusta e parcial transformando a correção do IPTU em “facções ” de privilegiados e não privilegiados. Não pode os entes públicos isentar o munícipe que possui uma propriedade mais humilde e taxar apenas os que em tese possuem mais”. 

Contreira cita como exemplo os imóveis tidos como valorizados que tem a mão do empreendedor imobiliário e do proprietário/investidor, que contribui muito mais com a arrecadação pública e usa muito pouco dos recursos públicos no dia a dia. Considera que os imóveis que estão em condomínio, o próprio condomínio é quem arca com manutenções de iluminação pública e asfalto e também facilita a coleta de lixo, deixando tudo organizado em um único espaço para coleta. 

“Não podem os moradores e corretores de imóveis, imobiliárias, construtoras e o setor produtivo aceitar goela abaixo essa segregação. A câmara municipal e Prefeitura não podem querer transformar um município capitalista ao modo comunista de gerir e mandar de forma desmedida sobre a propriedade privada castigando o capital e lembrando apenas de uma classe específica da população. Todos sem exceção, humildes e abastados contribuem e se completam na difícil tarefa de geração de emprego, renda, riqueza e força de trabalho”, pontuou Claudecir Contreira. 

No término da reunião ficou acertado que os vereadores da cidade vão avaliar algumas alterações apresentadas pela comissão e consideradas necessárias para aprovação do projeto. O advogado da Acir Leonardo Rezende auxiliou no posicionamento dos participantes. 

O empresário Neles Faria, do setor de materiais de construção também esteve presente representando a CDL. Além dos corretores Benisme Almeida, Emídio Luciano, Jean Michel, Narciso Vites, Rafaely Piva, Salmen Abou Dehn, Toni Bernardo, Victor Cabrera, Wagner Bolonhesi, Vereadora e corretora Kalynka Meirelles, Centro Oeste, Adriano Peterson representante do Sindimóveis. 

Destes conselheiros, Emídio Luciano, Jean Michel, Narciso Vites, Wagner Bolonhesi integram a comissão juntamente com a vereadora Kalynka Meirelles o representante do Sindimóveis, Adriano Peterson. 

Noticias Relacionadas

Novidades do PH! Deseja receber notificações sobre as atualizações mais recentes? Não Sim