Ativistas do Femen atacam carro de ex-diretor do FMI

obama diz considerar brasil um líder mundial

Três ativistas do grupo Femen protestaram nesta terça-feira diante do Tribunal de Lille, no norte da França, onde o ex-diretor do FMI (Fundo Monetário Internacional) Dominique Strauss-Kahn, de 65 anos, prestou depoimento em um processo sobre sua suposta participação em orgias com prostitutas.

As três manifestantes, que estavam os seios à mostra e gritavam ofensas contra o ex-diretor, lançaram-se contra o automóvel que levava o economista francês ao tribunal.

Strauss-Kahn, que era considerado o candidato favorito à Presidência da França em 2012, está sendo julgado com mais 13 pessoas no chamado "Caso Carlton" por supostas negociações das festas. O ex-político pode ser condenado a até dez anos de prisão e a uma multa de 1,5 milhão de euros.

Em depoimento hoje, o ex-diretor do FMI negou ter cometido crimes e afirmou que as festas "não eram habituais". Ele também afirmou que "não sabia que as mulheres eram prostitutas".

As ativistas lançaram-se contra o automóvel que levava o economista francês ao tribunal -Denis Charlet/AFP