Atirador que matou dois suecos em Bruxelas morre após ser baleado

Agência Brasil

Agência Brasil

Reprodução

Atirador que matou dois suecos em Bruxelas morre após ser baleado

Agressor se identificou como membro do Estados Islâmico

Um tunisiano de 45 anos, suspeito de ter matado dois torcedores suecos em Bruxelas, morreu nesta terça-feira (17) depois de ser baleado pela polícia em um café, informaram autoridades belgas. O primeiro-ministro da Suécia pediu mais segurança nas fronteiras da União Europeia (UE).

O agressor, que se identificou como membro do Estado Islâmico e reivindicou a responsabilidade em vídeo na internet, é suspeito de matar dois cidadãos suecos e ferir um terceiro no centro de Bruxelas, na noite dessa segunda-feira.

“O autor do ataque terrorista em Bruxelas foi identificado e morreu”, publicou a ministra do Interior, Annelies Verlinden, no X, horas depois que o primeiro-ministro Alexander De Croo chamou o ataque a tiros de “terrorista”.

O episódio ocorreu em momento de grande preocupação com a segurança em alguns países europeus ligados ao conflito entre Israel e Hamas. Um promotor federal belga disse que não havia provas de que o agressor tivesse qualquer ligação com o conflito no Oriente Médio.

Em agosto, a Suécia elevou seu alerta de terrorismo para o segundo nível mais alto. Advertiu sobre o aumento das ameaças contra suecos no país e no exterior, depois que a queima do Alcorão indignou os muçulmanos e provocou ameaças de jihadistas.

O primeiro-ministro sueco, Ulf Kristersson, afirmou, em entrevista hoje, que a segurança deve ser reforçada e que a Suécia e a UE precisam de melhores controles de fronteira.

“Entendo que muitos suecos estão com medo e com raiva”, afirmou Kristersson, acrescentando: “Este é um momento para mais segurança, não podemos ser ingênuos”.

O suspeito do ataque, que buscou asilo na Bélgica sem sucesso em novembro de 2019 e estava vivendo no país ilegalmente, era conhecido pela polícia belga em conexão com o contrabando de pessoas, disse o ministro da Justiça, Vincent Van Quickenborne.

Em vídeo nas redes sociais, o suposto atirador se autodenominou Abdesalem Al Guilani.

A ministra Annelies Verlinden, da Bélgica, disse que não pode descartar a possibilidade de ele ter tido cúmplices.

O atirador fugiu do local após o ataque, quando uma partida de futebol entre a Bélgica e a Suécia estava prestes a começar, desencadeando enorme caça a ele e levando a Bélgica a elevar o alerta de terrorismo em sua capital para o nível mais alto.

“O criminoso tinha como alvo específico os torcedores suecos que estavam em Bruxelas para assistir a um jogo de futebol. Dois compatriotas suecos faleceram. Uma terceira pessoa está se recuperando de ferimentos graves”, disse o primeiro-ministro..

A Bélgica estava recebendo a Suécia em uma partida de qualificação para a Euro 2024. O jogo foi interrompido no intervalo.

A Bélgica tem sido alvo de vários ataques islâmicos nos últimos anos, sendo o mais mortal o ataque de 2016 ao aeroporto de Bruxelas e ao metrô da cidade, no qual 32 pessoas morreram.

Vários dos homens armados islâmicos que atacaram Paris em um ataque de 2015, que matou 130 pessoas, eram belgas ou viviam em Bruxelas.

+ Acessados

Veja Também