Ar seco enfraquece e umidade aumenta na Bahia

Fernando Frazão/Agência Brasil

O enfraquecimento do ar seco sobre o Nordeste do Brasil e a presença de duas frentes frias nesta semana atuando no litoral da Região favorecem a formação de nuvens carregadas.

De acordo com os meteorologistas da Climatempo, os volumes de chuva serão significativos na Bahia, sul do Piauí e do Maranhão.

Observe que até o dia 31 de outubro, a chuva se espalha pelo interior baiano com volumes acumulados próximos a 50mm, podendo passar deste volume em algumas áreas pontuais. No início de novembro, entre os dias 1 e 5, a chuva aumenta de volume no oeste e no sul da Bahia, com acumulados chegando aos 80mm.




Ar seco persiste no interior de outros estados

O centro-norte do Maranhão, o Piauí, o Ceará, o interior do Rio Grade do Norte, da Paraíba, de Pernambuco e de Alagoas continuam com o predomínio do tempo seco e quente até o fim do mês. No primeiro dia do mês de novembro, o tempo não muda sobre estas áreas.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.