Após defender mulher que era agredida por marido, garimpeiro é morto em MT

O garimpeiro Armindo Fogaça, 58 anos, morreu neste domingo (30), depois de ser atingido por três tiros, em um garimpo ilegal em Aripuanã. A vítima foi morta depois de defender uma mulher que estava sendo agredida pelo marido.

Sengundo a Polícia Civil, o garimpeiro chegou a ser socorrido e levado para o hospital, entretanto, não resistiu aos ferimentos e morreu durante transferência para o Hospital Regional de Juína. A vítima chegou a contar para os policiais que estava no garimpo, quando viu uma mulher, identificada como Nilslaine Santanta, de 35 anos, sendo agredida pelo marido.

Indignado com a situação, a vítma tentou defender a mulher e suspeito, Denilson Lima de Souza, 35 anos, saiu o local e retornou com uma arma desferindo três tiros contra o garimpeiro.

De acordo com a equipe do hospital que atendeu a vítma, os tiros atingiram uma das mãos, a barriga e o tórax. O estado de saúde de Armindo era grave. Os médicos solicitaram a transferência do garimpeiro, porém ele não resistiu ao trajeto e morreu assim que deu entrada no hospital de Juína.

A mulher também foi atendida no hospital de Aripuanã, ela tinha ferimentos na cabeça e o suspeito de cometer o crime ainda não foi preso.