Alunas da Escola Estadual Paciana ganham os três primeiros lugares em concurso federal de redação

Para aprimorar o tema, a professora orientadora realizou palestra com uma advogada sobre direitos ambientais, e aulas com uma formadora Cefapro de Cuiabá

As alunas ganharam um concurso em nível nacional - Foto por: Divulgação

Três alunas da Escola Estadual Paciana Torres de Santana, do Residencial Coxipó, em Cuiabá, se destacaram da 5ª etapa do Concurso de Redação da Defensoria Pública da União (DPU).

As estudantes  Kamila Alves, Isadora Katherine e Ana Paula Fernandes, venceram em primeiro, segundo e terceiro lugar, respectivamente, na categoria I, destinada aos  anos finais do ensino fundamental. O concurso teve como tema: Defender Direitos: Como o acesso a justiça contribui para o desenvolvimento sustentável.

Segundo a professora Sandra Fagundes, que as orientou, as alunas não cabiam de contentatamento ao serem informadas que foram as melhores da categoria.

Para aprimorar o tema, a professora realizou palestra com uma advogada sobre direitos ambientais, além de aulas com uma formadora do Centro de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica (Cefapro) de Cuiabá.

“As alunas ficaram muito emocionadas. As famílias e toda a equipe da escola também, pois três alunas da escola ganharem um prêmio importante como esse em nível de Brasil, é sobretudo a valorização da escola”, comemora a professora.

Sandra, que retornou de uma licença-médica considera o resultado das alunas, uma valorização profissional. “É uma forma de me recuperar também. Nossa, só resultado positivo para a escola, para a educação pública. Trabalhei com a olímpiada de língua portuguesa e um dos meus alunos foi classificado. Nâo poderia ser melhor”, assinala. A premiação será em dezembro.

Concurso

O objetivo do concurso é despertar nos participantes o interesse por temas relacionados à educação em direitos e cidadania, por meio do incentivo à reflexão e ao debate desses assuntos.

A ideia é incentivar debates sobre a degradação do meio ambiente e seus efeitos sociais imediatos, e refletir sobre o acesso à justiça como veículo de prevenção e reparação das consequências dos grandes desastres ambientais. Além disso, o tema possibilita uma reflexão sobre como os organismos internacionais se preocupam com o desenvolvimento sustentável do mundo moderno.

O concurso é voltado aos alunos do ensino fundamental e médio, incluindo Educação de Jovens e Adultos (EJA), assim como os adolescentes que estão cumprindo medida socioeducativa de internação e adultos em situação de privação de liberdade em instituições estaduais, desde que devidamente matriculados em escola da rede pública ou de ensino técnico do país, bem como todos os internos das penitenciárias federais.