Agricultores voltam a se reunir em grupos de discussão em MT

Reunidos para trocar experiências de gestão e discutir problemas comuns para quem administra uma propriedade rural, cerca de 40 agricultores de Mato Grosso voltam a se reunir nesta semana nos Grupos de Discussão. A metodologia de trabalho, “herdada” de agricultores argentinos, já é conhecida pelos mato-grossenses e, depois de adaptada, começa a ser levada para as regiões Leste e Sul do estado.

Coordenados pelos supervisores de projetos da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), os agricultores se reunirão em Sorriso (24/03), Lucas do Rio Verde (25/03), Nova Mutum (26/03) e em Campo Novo do Parecis (27/03). “Foi preciso dividirmos alguns grupos devido às dificuldades de logística do estado. Assim, optamos por manter grupos com produtores de municípios próximos”, explica o gerente de Planejamento da Aprosoja, Cid Sanches.

A cada reunião, uma propriedade é escolhida para receber os agricultores. No encontro, há troca de informações, comparação de estratégias e intercâmbio de práticas que podem ajudar na gestão da fazenda. “Já consolidamos essa metodologia nas regiões Norte e Oeste do estado. Agora, nossa meta é entrarmos no Leste e no Sul, ainda neste ano”, afirma Cid Sanches.

Para isso, será realizada uma viagem de trabalho à Argentina. A comitiva será formada por produtores associados à Aprosoja com interesse nos grupos de discussão. Consultores que já trabalham com a associação serão os “guias” nas propriedades argentinas. A ideia é conhecer in loco como funcionam as reuniões e os impactos dessa dinâmica na gestão das propriedades. Após a viagem, a expectativa é de que os produtores iniciem novos grupos pelo estado.

Os grupos de discussão são um dos vários projetos da Comissão de Gestão da Produção e de Propriedades da Aprosoja. “Conseguimos ter uma conexão muito grande entre essa iniciativa e o projeto Referência, por exemplo, que acompanha a gestão dos agricultores e permite uma visão comparativa das melhores práticas de administração da propriedade. Independentemente da ferramenta, o que cabe à Aprosoja é oferecer boas opções de apoio, suporte e orientação para que os associados possam ter mais eficiência na tomada de decisões ‘dentro da porteira’”, observa o gerente de Planejamento.