Adesão ao registro de MEI dá salto entre 2017 e 2019 em Rondonópolis

Adesão ao registro de MEI dá salto entre 2017 e 2019 em Rondonópolis

Fugir do desemprego ou ter o primeiro emprego são alguns dos motivos que levam as pessoas a buscarem se formalizar e ter sua microempresa. A cada ano, a demanda dos trabalhadores para se tornarem Microempreendedores Individuais (MEIs) tem crescido em Rondonópolis, segundo um estudo realizado pelo Centro de Atendimento Empresarial (CAE) da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.

Um paralelo entre os anos de 2017 e 2018 revela que no primeiro houve uma abertura de 1.003 microempresas e no segundo esse número subiu para 1.367 novos MEIs. “Comparando esses dois anos, temos um crescimento de 42%”, assegura o gerente do CAE, Jarmes de Sousa.

Em um recorte dos cinco primeiros meses de 2017, 2018 e 2019, o estudo contabiliza, respectivamente, 337, 484 e 740 registros de MEIs a mais entre o período observado e o anterior. “Olhando para 2017 e 2018 tivemos um aumento percentual de 31%. Já quando enfocamos 2018 e 2019, o avanço foi de 47,41%”, comemora Jarmes.

Aplicar energia laboral e capital abrindo sua empresa é uma alternativa viável quando o indivíduo sai do emprego formal, está à procura de emprego ou ainda não conseguiu entrar no mercado de trabalho, de acordo com o gerente.

“Montar seu próprio negócio tem sido uma possibilidade encontrada por alguns trabalhadores para sair do desemprego e sustentar sua família. Outros pegam a rescisão e a aplicam abrindo uma microempresa. E, também, há muitos jovens que veem a MEI como uma oportunidade de ter o primeiro emprego. As pessoas começaram a entender a importância de se formalizarem porque, assim, elas passam a ter a segurança que o INSS proporciona, não apenas para si, mas para seus familiares”, atesta Jarmes.

Localizado no Paço Municipal, o CAE atende presencialmente das 12h às 18 horas. Quem quiser esclarecer alguma dúvida por telefone pode ligar no 3411-3516, das 8h às 11 horas.