ACIR e representantes da sociedade civil conhecem realidade do aeroporto de Rondonópolis

acir e representantes da sociedade civil conhecem realidade do aeroporto de rondonópolis



Empresários e representantes da sociedade civil organizada estiveram na manhã desta terça-feira (02) em visita ao Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco. Acompanhados do secretário municipal de transporte, Argemiro de Souza, eles conheceram a rotina operacional do terminal, viram as unidades e melhorias feitas recentemente e esclareceram algumas dúvidas em relação ao que falta para atender melhor os passageiros.
Apesar de ser de responsabilidade do governo do Estado, o aeroporto de Rondonópolis tem recebido investimentos com recursos do município, como aquisição do equipamento de raio-x, além do Papi e RNav, estes últimos que estão em fase de licitação.
O frequente cancelamento de voos e o anúncio da retirada da linha Rondonópolis – Campinas, operada pela Azul, preocupou ainda mais o grupo que luta por melhores condições no terminal do município. Eles solicitaram uma visita in loco para ver de perto a situação do local.
Como já foi amplamente divulgado, a obra licitada pelo governo do Estado, está paralisada e alguns dos itens contratados que poderiam seguir em execução foram deixados pela empresa responsável. Um dos problemas relatados pelo secretário Argemiro é a construção da cerca operacional em torno de toda a área do aeroporto. O grupo, que tinha representantes da ACIR e das mulheres de Rondonópolis, se comprometeu a unir forças com o município e ir até o governo do Estado cobrar a conclusão dessa obra para evitar que animais silvestres possam adentrar o terreno e até circular pela pista de pouso e decolagem podendo ocasionar graves acidentes.
Uma outra possibilidade de melhoria do aeroporto seria a construção de um novo terminal por meio do Programa de Expansão Aeroportuária, que já selecionou alguns aeroportos de Mato Grosso para receber o investimento, e Rondonópolis está a frente na lista. O presidente de ACIR, José Luiz Gonçales Ferreira, afirmou que vai atuar em conjunto de outros representantes do grupo para que seja expedida a licença ambiental o mais rápido possível e com isso dê andamento neste processo.