AACD: Laura nunca esteve em fila para cirurgia

presos filmam tortura a rival dentro de penitenciária



Na última quinta-feira, a BandNews FM divulgou o caso da ouvinte Ana Paula Oliveira, que mandou uma mensagem para o âncora Ricardo Boechat sobre a filha dela. Laura, de 11 anos, nasceu com escoliose, uma deformidade que deixa a coluna em forma de "S".

Segundo Ana Paula, a filha ficou na fila para fazer uma cirurgia na AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) por 7 anos. Quando finalmente ocorreu a chamada, foi constatado que ela estava na fila errada durante todo esse tempo.

Os pais de Laura entraram com um processo junto a Defensoria Pública, que concedeu uma liminar para a realização da cirurgia no Hospital das Clínicas. Hoje ela está na posição 220 da fila e levará mais 7 anos para ser atendida.

Procurada, a AACD disse, em nota oficial, que a menina nunca esteve na fila para a cirurgia de escoliose, e sim para uma operação de membros inferiores. Com o desenvolvimento da criança, não foi mais necessária essa operação.

A nota afirmou ainda que, por decisão do Ministério Público Estadual, a entrada de novos pacientes para a fila de operação de escoliose foi suspensa até que todos os pacientes que já estão esperando façam a cirurgia.

Confira a nota da AACD:

Com relação à demanda do Portal da Band sobre a paciente Laura Silva De Oliveira Neves, a AACD, Instituição privada, sem fins lucrativos, informa que:

– A paciente nunca esteve na fila da instituição para operação de escoliose.

– Laura é paciente da AACD com diagnóstico de Complexo FFU (amelia de MMSS, deficiência congênita do fêmur bilateral e hemimelia de fíbula D), passando por atendimento nas Clínicas de Mal-formados e de Escoliose.

– Com menos de 1 ano de idade, foi colocada na fila de operação de membros inferiores, mas o desenvolvimento da criança permitiu a retirada da lista de cirurgia das pernas.

– Até 2012, não havia quadro de escoliose passível de correção cirúrgica, com a paciente apresentando curva redutível à tração manual. Na ocasião, a Clínica de Escoliose da AACD solicitou retorno para a paciente que voltou para a instituição em 9/10/14, quando já apresentava escoliose de 80 graus. Na ocasião (9/10/14), os especialistas da instituição fizeram a indicação cirúrgica.

– Atualmente, por decisão do Ministério Público Estadual, a entrada de novos pacientes para a fila de operação de escoliose foi suspensa, até que todos os pacientes que já se encontram em lista na AACD sejam submetidos à cirurgia. As filas de atendimento e cirurgia da AACD são monitoradas pela Secretaria Municipal de Saúde de SP. Não há, entretanto, uma intervenção do MP na Instituição.

– Assim que houve o diagnóstico de quadro cirúrgico em 9/10/14, a Instituição orientou a família da paciente a buscar uma posição de operação na rede pública, tendo em vista a suspensão da entrada de novos pacientes para a fila de operação de escoliose.

– A Instituição reforça que preza sempre pelo atendimento com excelência aos seus pacientes.