A importância dos Distritos Industriais para a economia de Rondonópolis

Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria – CNI, o setor industrial representa 21,6% do PIB do Brasil e responde por 70,8% das exportações, por 67,4% do investimento empresarial em pesquisa e desenvolvimento, e por 34,2% dos tributos federais (exceto receitas previdenciárias). Para cada R$ 1,00 produzido na indústria, são gerados R$ 2,40 na economia como um todo.

A indústria tem papel de destaque no desenvolvimento econômico e social do Brasil. É a partir dela que é possível ter a autonomia de produtos sem depender de outros países para consequentemente repassá-los ao consumidor.

Rondonópolis conta com 5 distritos industriais e um intermodal, entre eles, o Intermodal gera o maior valor acumulado para o município. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Rondonópolis, ele é responsável por 25% do PIB (Produto Interno Bruto), e gera mais de 4.000 empregos diretos.

No ano de 2017, segundo levantamento do Perfil Rondonópolis desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa da ACIR – IPA, Rondonópolis exportou U$1.021.069.498,00, alcançando o 2° lugar no Ranking de Comércio Exterior em Mato Grosso.

É nos distritos industriais onde tudo acontece; produtos, serviços, empregos e geração de renda. As indústrias são fontes de recursos imensuráveis para a sociedade e consequentemente para a economia. Portanto, quanto mais o município investe em seus distritos, mais retorno ele tem para a sociedade e para as finanças da cidade.

Nos distritos industriais de Rondonópolis, existe mais de 500 empresas em funcionamento. Com a precariedade da infraestrutura, as empresas que geram renda e emprego para a população, vem sofrendo grande dificuldade para o desenvolvimento desse setor que é tão importante em diversos níveis socioeconômicos. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Rondonópolis, o valor adicionado pelos distritos ao município é de R$ 9.794.685.323,92.

Existem três Distritos Industriais Municipais em Rondonópolis, o Augusto Bortoli Razia, o Micro Distrito da Vila Operária e o Distrito Rondonópolis que é o mais antigo.

Entre os problemas em torno da infraestrutura dos distritos, estão vias de acesso totalmente intransitáveis, não há segurança especialmente para quem trabalha à noite, iluminação extremamente deficiente, problemas com transporte coletivo, saneamento básico, vendedores ambulantes irregulares e a falta de conservação e limpeza das vias são os problemas mais aparentes

. A falta de atenção do poder público municipal, implica na desvalorização do espaço para a instalação de novas empresas, se tornando uma barreira limitadora para novos investimentos, o que ocasiona no desinteresse de novas empresas em aportar em Rondonópolis

Para Álvaro Luiz Bonesso Fruet, Vice-presidente de Distritos Industriais da ACIR, a precariedade vai além da infraestrutura, o funcionário também enfrenta graves problemas para se locomover e realizar seu trabalho.

“Hoje, algumas empresas dos distritos não conseguem exercer seus serviços quando as chuvas começam. O funcionário sofre constantemente com a infraestrutura, por não haver um planejamento, é perigosa a locomoção, não tem estrutura. Nos distritos também não há uma estrutura de restaurantes, lanchonetes, nem mesmo corpo de bombeiros.”, evidencia Álvaro.

Em épocas de crise, como a crise de desemprego em 2013/2014, que se estendeu até 2015/2016, as indústrias foram importantes fatores na diminuição dos prejuízos socioeconômicos. A indústria precisa inteiramente de todos os níveis de mão de obra para atender a toda sua necessidade, em média 13 mil pessoas são empregadas por ano nesse setor em Rondonópolis, segundo o Ministério do Trabalho e do Emprego – MTE.

A geração de serviços e produtos também é dificultado, as empresas ficam impossibilitadas de ter uma linha de produção, por exemplo, para fazer um carregamento de matéria prima, o caminhão do fornecedor não consegue entrar dentro do distrito pois não há asfalto, há buracos na estrada, e é preciso uma mão de obra diferente para fazer o descarregamento, gerando alto custo, tempo e risco de acidente.

O presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis -ACIR, Ernando Cabral Machado, afirma que a situação dos distritos está colocando em risco toda a indústria que está instalada na cidade.

A grande questão do acordo realizado no ano de 2018, em que a verba de R$ 56 milhões de reais proveniente da emenda impositiva direcionada para Rondonópolis pela bancada parlamentar federal de Mato Grosso a ser aplicada totalmente para as obras de recuperação dos Distritos Industriais de Rondonópolis, sofreu um fatiamento e agora não será direcionada exclusivamente para as obras nos distritos.

O prefeito José Carlos do Pátio, que antes assegurou exclusividade da verba para os projetos, segundo matéria publicada pelo Jornal A Tribuna, em 23 de dezembro de 2018, intitulada “Distritos Industriais: Acordo garante recursos para obras de recuperação.”, agora voltou atrás.

Para o presidente da ACIR, Ernando Cabral Machado, “É necessário ter conscientização da importância dos distritos para o desenvolvimento do município. A indústria não está brigando pela verba prometida, ela está brigando por condições de trabalho, gerarão de empregos, serviços, produtos, renda para o desenvolvimento socioeconômico e principalmente, por condições de trabalho para os trabalhadores, como diz o próprio prefeito “meu povo”, o qual está ficando relegado a segundo plano, andando na contramão do desenvolvimento e geração de emprego. Abandonar os distritos é abandonar o “povo”, que trabalha e que produz”, disse o presidente.

Para que haja o esclarecimento das reais necessidades dos distritos de Rondonópolis, é preciso fazer um estudo diante da infraestrutura e entender a grandiosidade da geração de economia. É preciso investir nos distritos para desenvolver ainda mais a economia e a sociedade de Rondonópolis.