5 sinais de que você não está se alimentando bem

Picture of Mike Alves

Mike Alves

Freepik

5 sinais de que você não está se alimentando bem

A má alimentação afeta questões físicas e emocionais do organismo

Compartilhe:

A frase “Você é o que você come”? já foi ouvida por você? Por mais comum que seja, há um fundo de verdade que não pode ser ignorado. Isso porque o corpo responde diretamente ao que você se alimenta, de modo que uma alimentação saudável melhora as chances da pessoa ter menos problemas de estômago, cardiovasculares, de pele, entre outros.

Porém, a ausência ou a pouca ingestão de alimentos saudáveis, como frutas, legumes, verduras, leite, iogurte natural integral e cereais, acaba tendo o efeito reverso, prejudicando a sua saúde. Neste texto, conheça os principais sinais de uma alimentação inadequada e o que está causando esses problemas.

Cansaço excessivo

Imagine encher o tanque do seu carro com gasolina de má qualidade. Você certamente perceberia que há algo de errado com ele na hora de dirigir, porque peças como o motor passariam a ter problemas. O mesmo vale para a alimentação e o nosso organismo: quando ela é empobrecida, o corpo acaba tendo dificuldade em fazer todas as atividades do dia de forma plena.

Essa sensação existe principalmente pela ausência de ferro e vitamina B12 na dieta. O ferro é fundamental na formação das hemácias, células responsáveis pela oxigenação dos tecidos. Sem ele, a pessoa pode ter anemia e sintomas ligados à doença, como baixa resistência a esforços e fadiga em excesso.

Já a falta da vitamina B12 também é um problema, uma vez que ela desempenha funções importantes no metabolismo de gorduras, proteínas e carboidratos. É ela também a responsável pela produção da energia no sistema nervoso e pela formação e maturação da hemoglobina, proteína dos glóbulos vermelhos que promove o transporte do oxigênio.

Intestino preso

Muita gente acredita que o intestino preso, conhecido também como constipação, engloba apenas os casos em que a pessoa evacua poucas vezes ao dia ou não faz isso todos os dias. Entretanto, quem tem que fazer muita força para ir ao banheiro, tem dificuldades contínuas por causa das fezes endurecidas e sente dor nesses momentos também é considerado constipado.

Uma das possíveis causas desse problema é o fato de a dieta estar escassa em alimentos ricos em fibras. Eles são responsáveis pela formação do bolo fecal, com uma boa ingestão revertendo este cenário. Contudo, é preciso ficar atento: comer muitas fontes de fibras e não beber muito líquido também é um erro, já que isso cria fezes volumosas e ressecadas, difíceis de sair do corpo.

Pele ressecada

Existem sinais físicos que evidenciam a alimentação ruim do indivíduo, como o fato da pele ficar ressecada. Os radicais livres danificam o colágeno presente nesse órgão, facilitando o surgimento de rugas e proporcionando uma aparência menos radiante da pessoa.

Isso ocorre porque a alimentação não prioriza alimentos que tenham vitaminas A, C e E, muito benéficos nessa questão. Eles possuem forte ação antioxidante, o que combate os radicais livres e preserva a saúde da pele. Ao lado de proteínas e minerais, como selênio, ferro, cobre e zinco, as vitaminas ajudam na formação do colágeno, deixando a pele mais forte. Alimentos que tenham vitaminas do complexo B também são bem-vindos nesse caso. A B7, chamada de biotina, ajuda a manter a pele hidratada, enquanto a B3 melhora a textura e desempenha papel anti-inflamatório.

Unhas fracas e queda de cabelo

Não é só a pele que pode sofrer fisicamente com a alimentação inadequada. A falta dos nutrientes citados acima também afeta os cabelos, colaborando para a queda excessiva dos fios. Além de evitar isso, eles participam na formação e reconstrução dos fios e folículos capilares. Uma boa ideia é incluir o consumo de alimentos que tenham ômega 3, que ajuda no equilíbrio da oleosidade e deixa os cabelos mais fortes e bonitos.

Em relação às unhas, esses nutrientes são importantes, pois as deixam mais fortes e impedem a descamação, assim como o surgimento de sulcos e manchas. Nesse caso, pesa muito a deficiência de proteínas como selênio e zinco, assim como a falta de ferro.

Mau humor

Não bastasse as questões físicas, a má alimentação também afeta o aspecto emocional. Quem adota dietas muito restritivas, como low carb, acaba ficando mal-humorado e irritadiço, uma vez que a falta de carboidratos colabora para a redução do aporte de energia no corpo.

A questão merece destaque porque a comida pode influenciar o emocional de outras formas, favorecendo o aparecimento de quadros mais graves, como ansiedade e depressão. Isso pode ser causado pelo hábito da pessoa manter uma alimentação inflamatória, que seja rica em sal, gordura e açúcares, mas que não tenha muitos nutrientes.

Deixe um comentário

Veja Também

Quer ser o primeiro saber? Se increve no canal do PH no WhatsApp