Profissionais de saúde monitoram ocorrência de doenças durante Copa do Mundo Fifa Sub-17

Alexandre Loureiro/CBF

Seleções de futebol e delegações de 23 países estão no Brasil participando da Copa do Mundo Fifa Sub-17, que começou no dia 26 de outubro e vai até 17 de novembro. Para monitorar riscos e atender possíveis situações de emergência em saúde durante o evento o ministério da Saúde montou centros com profissionais especializados nas cidades-sede.

Em Brasília (DF) foi aberto o Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde, uma coordenação geral que está interligada com os Centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde instalados nas três cidades-sede dos jogos, que são Goiânia (GO), Cariacica (ES) e Gama (DF). O trabalho é feito em conjunto com os governos locais.

Profissionais de áreas como vigilância em saúde, vigilância sanitária, epidemiologistas e especialistas em saúde pública atuam para garantir que possíveis casos de doenças infecciosas sejam identificados e tratados adequadamente. Os profissionais também vão aos estádios durante os jogos para identificar potenciais ameaças à saúde pública.

O coordenador-geral de emergências em saúde pública, do Ministério da Saúde, Rodrigo Frutuoso, explicou que se trata de uma ação integrada. “Trabalhamos junto com outras coordenações do Ministério da Saúde com informações provenientes das secretarias estaduais. Temos um contato muito estreito com a Fifa para que a gente tenha acesso ao público que adquiriu os ingressos”, disse.

Frutuoso informou também que a atuação dos profissionais de saúde começa na prevenção. “Nossa equipe consegue pesquisar dentro desses países das pessoas que vêm assistir aos jogos os potenciais eventos ou doenças que são mais sensíveis para ter o monitoramento mais adequado”, detalhou.

Ações de prevenção

O trabalho de preparação da área de saúde para receber a Copa do Mundo Fifa Sub-17 começou bem antes dos jogos. Desde o início do ano, o Ministério da Saúde acompanhou e analisou nos 24 países classificados, incluindo o Brasil, os últimos eventos em saúde, como registro de doenças infecciosas, sexualmente transmissíveis e doenças de transmissão alimentar.

O governo brasileiro também enviou indicações pré-evento aos países participantes, como recomendação de vacinação e orientações de prevenção e controle às agências de turismo responsáveis pelo trânsito dos viajantes.

“Foi articulado junto ao Ministério de Relações Exteriores uma nota orientativa de quais seriam as vacinas necessárias para os atletas, para os familiares, às delegações, e que fosse amplamente divulgado também nesses países orientações para atualização da carteira vacinal”, relatou Rodrigo Frutuoso.

No Brasil foi reforçada a necessidade de vacinação especialmente para profissionais que têm contato mais direto com os viajantes em aeroportos, táxis, ônibus, hotéis, restaurantes, bares e na estrutura de segurança montada para o mundial.

A Copa do Mundo Sub-17

A Copa Sub-17 tem a participação de 24 seleções. Desde o primeiro jogo até a final, 52 partidas serão disputadas por atletas de 15 a 17 anos. A final e a disputa do 3º lugar ocorrerão em Brasília, no dia 17 de novembro.