“Governo precisa dar urgência à questão dos caminhoneiros”

levy: ajuste do câmbio é necessário

Em meio às discussões com os caminhoneiros para evitar novas greves, o deputado Adilton Sachetti (PSB-MT) alerta que o governo precisa dar prioridade às reivindicações dos motoristas, para evitar que bloqueios voltem a paralisar o país, conforme ocorrido no mês passado.

“O governo precisa dar encaminhamento com urgência à questão dos caminhoneiros. Uma nova paralisação pode inviabilizar o país”, afirma Sachetti. Esta terça-feira (10/03), foi realizada a primeira reunião do grupo de trabalho, mediada pelo governo, para discutir as demandas da categoria.

No encontro, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, propôs a criação de três subgrupos para debater, respectivamente: a formação de tabela referencial para o preço do frete pago aos caminhoneiros; a regulamentação de pontos da Lei do Caminhoneiro; e uma agenda regulatória, que envolva questões como valor de pedágio e reajuste no preço do diesel.

Os subgrupos têm 15 dias para discutir, individualmente, estes três pontos e apresentar relatório no próximo dia 26, em nova reunião do grupo de trabalho, que é formado por caminhoneiros, empresários e governo. “É preciso que se realize, antes desse prazo, discussões para encontrarmos soluções. Esta questão é complexa e precisa ser olhada com muito cuidado”, reforça Sachetti.

Entre as reivindicações dos caminhoneiros, estão a redução do PIS/Cofins sobre o valor do óleo diesel, a abertura de linha de crédito para o transporte autônomo e o perdão de multas e processos judiciais aplicados durante a paralisação.