Wellington vai fortalecer Ceasa e investir em regularização fundiária

Wellington vai fortalecer Ceasa e investir em regularização fundiária
Foto: Assessoria
Alface, frango, ovos e até o leite fresco são produtos essenciais para alimentação e itens básicos para composição da cesta básica das famílias mato-grossenses.
“E é o pequeno produtor que põe comida na nossa mesa”, destacou o candidato ao governo de Mato Grosso, Wellington Fagundes (PR), durante entrevista ao Jornal do Meio Dia, da TV Vila Real.
Wellington deixou bem clara sua posição em relação às políticas públicas voltadas à pequena produção.
De acordo com o candidato, as ações serão fortalecer a Ceasa em Mato Grosso, incentivar, capacitar, ofertar assistência técnica e regularizar a situação de mais de 80 mil imóveis urbanos e rurais pelo Estado.
“Sem atenção ao pequeno, o Estado não estará cumprindo sua função social de fixar o homem do campo, garantir dignidade e induzir a geração de empregos. E são os pequenos produtores que mais necessitam da atenção do Estado. Extinguir a Ceasa é o mesmo que abandonar essas famílias que vivem e sobrevivem do que o campo produz”, completou o candidato.
Recentemente, a extinção da Central de Abastecimento de Cuiabá (Ceasa) foi citada como possível medida para o enxugamento da máquina pelo candidato Mauro Mendes.
Wellington, no entanto, vai na direção contrária.
A ideia é ampliar o alcance da Ceasa com a implantação de centros de apoio à agricultura familiar em cidades pólo do Estado.
Nesses locais, além de informações técnicas sobre cultivos, os produtores terão acesso a cursos e técnicas de manipulação dos alimentos, para atender a economia local e agregar valor aos produtos.
Aliado ao fortalecimento da Ceasa, Wellington tem defendido a importância da regularização fundiária, especialmente para os pequenos produtores.
“A entrega desses títulos busca corrigir uma falha no Programa Nacional de Reforma Agrária. A terra era distribuída, mas o trabalhador não recebia o título definitivo da propriedade. Com isso, ficava com acesso limitado ao crédito e sem poder investir em seu próprio negócio”, frisou.
O candidato republicano lidera a maior frente de oposição ao atual governo de Mato Grosso, composta por dez partidos (PR, PMN, PROS, PC DO B, PODEMOS, PP, PT, PV, PRB e PTB).
‘A Força da União’ tem Sirlei Theis, como candidata à vice-governadora, Adilton Sachetti e Maria Lúcia Cavalli candidatos ao Senado Federal.