Vírus contamina jogadores de Fortnite com promessa de V-Bucks e trapaça de mira

Vírus contamina jogadores de Fortnite com promessa de V-Bucks
Fortnite é um game on-line do gênero Battle Royale e coloca jogadores em uma ilha para disputarem a sobrevivência. (Foto: Divulgação)

Os desenvolvedores do Rainway, uma plataforma que permite jogar no computador remotamente por meio do navegador web, descobriram uma praga digital que estava contaminado jogadores do game “Fortnite” prometendo a eles um auxílio de mira (aimbot) e V-Bucks de graça com uma espécie de “hack” do jogo.

Em vez de entregar o prometido, o vírus compromete a segurança das comunicações web da vítima para redirecionar anúncios publicitários.

Segundo a Rainway, o vírus teve mais de 78 mil downloads antes de ser retirado do ar. O número é um indicativo de quantos jogadores de Fortnite buscam esses programas para tentar trapacear no game.

É possível achar instruções no YouTube e em outros sites direcionando as possíveis vítimas para o download da praga digital a pretexto de serem “tutoriais”, segundo a Rainway.

Com cerca de 125 milhões de jogadores, segundo a revista “Forbes”, Fortnite arrecada US$ 300 milhões por mês para a desenvolvedora Epic Games ao colocar 100 competidores em uma ilha repleta de armas para lutarem pela sobrevivência. O game pode ser jogado de graça, mas fatura com a venda da moeda de jogo “V-Bucks”, que foi oferecida de forma ilegítima no golpe.

A praga digital instala novos certificados de segurança no computador para permitir a violação dos acessos a páginas HTTPS (páginas conhecidas como “seguras” ou com o “cadeado de segurança”). Isso permite que o vírus injete um novo conteúdo nos sites da web acessados pelo usuário. Foram esses acessos que a Rainway conseguiu identificar para detectar que algo estava errado.

O conteúdo que a praga digital insere nas páginas visitadas faz com que sejam exibidos anúncios publicitários vinculados a uma conta do golpista responsável pelo vírus. Essa prática canaliza a receita publicitária, que deveria ser do site visitado, para o bolso do hacker.

Embora o vírus aparentemente não prejudique a vítima diretamente, ele tem acesso a todo conteúdo dos sites seguros visitados pelo internauta. Isso inclui, por exemplo, senhas digitadas e sites financeiros. Não há indícios de que a praga esteja recolhendo esses dados, mas a possibilidade existe.

Jogadores não devem buscar programas e conteúdo para trapacear em jogos, especialmente games com componentes on-line como o “Fortnite”.

Trapacear nesses jogos não é permitido, podendo render a expulsão do jogador dos servidores oficiais. Na pior das hipóteses, o programa de trapaça pode ser falso e apenas incluir uma praga digital, como neste caso documentado pela Rainway.