Servidores escolhem representantes de Comissão para organizar eleição no IMPRO

Cerca de 80 servidores municipais de Rondonópolis escolheram na tarde de quinta-feira (10), através de votação, o último representante para a composição da Comissão Eleitoral do Instituto Municipal de Previdência dos Servidores de Rondonópolis (IMPRO).

Pela lei, o processo eleitoral do IMPRO só tem legitimidade com a escolha de representantes do executivo, legislativo, dos servidores ativos e inativos e do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rondonópolis (Sispmur). 

Dessa forma estão da Comissão Luzia Aparecida do Nascimento (SISPMUR), Rodenil Gonçalves de Jesus (Poder Legislativo), Rosângela Bernardo Leite (Representante dos Servidores), Adriano Gomes de Oliveira (Representante dos Servidores), Rozalina Carvalho Gomes Ruiz (Nomeada pela Assembleia dos Segurados).

A primeira ação da Comissão será a escolha de um nome para presidir o grupo que vai conduzir a eleição, que deve acontecer no período de 30 dias. A posse do novo presidente está marcada para o dia 1º de julho.

Qualquer servidor municipal de carreira, sem impedimentos judiciais, com cinco anos de trabalho no município e com a certificação profissional atualizada oferecida pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), conhecida como CPA-10, pode participar da eleição.

A presidente do Conselho Curador do IMPRO Rozimar Auxiliadora Cunha afirmou que o processo eleitoral acontecerá de forma transparente e acessível para servidores e órgãos fiscalizadores.

“Queremos eleição e vamos fazer esse processo da forma mais transparente possível. É preciso ter muita responsabilidade, por quê vamos eleger uma pessoa que precisamos confiar o dinheiro de nossas aposentadorias”, lembra.

O professor César Ney Arruda complementou o pronunciamento da colega e pediu que a vontadedo servidor público seja respeitada. “Nos queremos eleições. É uma ato legítimo e precisa ser legitimada pela gestão municipal. Não vamos aceitar qualquer outro tipo de intervenção no processo”, completa.

O presidente em exercício do Sispmur, Reuber Teles frisou que a entidade apoia todo contexto eleitorado que foi montado. “Nos apoiamos a eleição. É o servidor que deve escolher quem deve presidir o IMPRO. Apoiamos o processo eleitoral”, garante.

O diretor executivo do IMPRO, Roberto Carlos Correa de Carvalho aproveitou o momento para convocar os servidores para a disputa do pleito. “E assim que se escolhe, na base do voto. Vamos promover uma eleição limpa, transparente, sem baixarias e com ideias que visem o bem-estar do servidor.

Gostaria muito que os servidores inciassem uma movimentação para formalização de várias chapas. Assim temos mais propostas a serem discutidas e uma eleição altamentedemocrática. Estou muito satisfeito com este momento. Essa grande movimentação só reafirma uma coisa: o servidor quer eleição no IMPRO e vamos fazer”, finaliza.