Rondonópolis é líder no cumprimento de metas da assistência social em MT

Rondonópolis é líder no cumprimento de metas da assistência social em MT
Matusalem Teixeira

Rondonópolis é o município mato-grossense que cumpriu o maior número de metas das políticas de assistência social estabelecidas no Sistema Único da Assistência Social (SUAS).

Essa classificação foi apresentada pelo Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) medida pelo Pacto de Aprimoramento, que estabelece metas e prioridades do setor para os municípios.

A notícia foi repassada pela secretária de Promoção e Assistência Social, Márcia Rotilli, que comemorou o lugar de destaque no Estado.

“Estamos felizes como o resultado do nosso trabalho. É fruto do comprometimento da gestão municipal e do esforço de toda a equipe em fazer o melhor para atender a população”, ressaltou.

Segundo o MDS, Rondonópolis alcançou 61,5% das metas elencadas no Pacto para cidades classificadas de grande porte, as que têm mais de 100 mil habitantes.

O cadastro das famílias que têm pessoas que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) foi uma das metas que a secretária Márcia Rotilli comentou ter ajudado o município a alcançar o primeiro lugar no Estado.

Outra meta do Pacto citada pela secretária foi a inclusão do público prioritário, idosos que vivem em isolamento e crianças em violação dos direitos, nos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, cuja meta era de ter cerca de 500 participantes e o município já tem cerca de 800 pessoas fazendo as atividades.

A secretária comentou que falta pouco para conseguir alcançar a meta que trata da adequação da legislação municipal para que fique integrada e interligada à lei do SUAS, possibilitando a vinda de novos recursos para o setor.

O Pacto serve também como instrumento para monitorar o cumprimento das metas da Assistência Social e a expectativa da atual gestão é alcançar 90% delas metas até 2020.

Rotilli informou que tem como desafio acompanhar pelo Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif) as famílias que recebem o BPC e envolvê-las nas atividades dos Cras e ainda identificar a presença de casos de crianças em situação de trabalho.