Projeto de lei quer homenagear militares mortos em defesa da sociedade

PL de autoria do deputado Elizeu Nascimento propõe a criação de um memorial em homenagem aos policiais e bombeiros militares mortos em razão do serviço

Projeto de lei quer homenagear militares mortos em defesa da sociedade
CCSMI/PMMT

O Projeto de lei apresentado pelo deputado Elizeu Nascimento (DC) em sessão ordinária na Assembleia Legislativa propõe a criação de um memorial em homenagem aos policiais e bombeiros militares mortos em razão do serviço, no Estado de Mato Grosso.

Ao assumir o cargo de policial ou bombeiro militar, o soldado ou oficial presta um juramento. Nele, o integrante se dispõe a dedicar-se à pátria e defendê-la, mesmo que com o sacrifício da própria vida.

Infelizmente, o caráter da profissão faz com que alguns cheguem a esse extremo para defender a sociedade mato-grossense.

Foram dezoito anos de serviços prestados na Policia Militar de Mato Grosso, eu saia da minha casa deixava minha família ia trabalhar não sabia se ia voltar com vida, graças a Deus hoje estou aqui para contar minha historia, mas quantos irmãos de farda perderam a vida em combate? Propor essa lei é apenas uma singela homenagem àqueles que perderam a vida defendendo a vida de outro”, declarou o deputado Elizeu Nascimento.

O projeto de lei pretende homenagear os policiais e bombeiros militares que arriscaram suas vidas a favor da segurança pública de Mato Grosso. O memorial terá uma contribuição social, pois será aberto para visitas, assim promoverá uma agenda cultural, mostrando para a sociedade que o patrimônio não é um problema, mas sim uma solução, capaz de agregar valores e captar retornos significativos.

O memorial poderá receber turmas de escolas, do Ensino Médio e Fundamental, com breves palestras sobre as funções dos policiais e bombeiros militares. Tratando-se de uma ação cultural, educativa e que homenageia os heróis que se sacrificaram pela segurança do estado de Mato Grosso.

É importante lembrar o amor que eles demonstraram à profissão e ao próximo ao se exporem a um risco que os levou à morte, finalizou o parlamentar.