Preparador físico da Seleção Feminina participa de simpósio nos EUA

Lucas Figueiredo/CBF

Com o objetivo de acompanhar cada vez mais de perto as jogadoras convocadas para a Seleção Brasileira Feminina, o preparador físico Fábio Guerreiro participa do Sports Science Symposium, no StubHub Center, em Carson, na Califórnia. O evento acontece até a próxima sexta-feira (25) e reúne integrantes de comissões técnicas de clubes de vários países, além de outras modalidades.

Nos três dias de simpósio, palestrantes convidados compartilharão as mais recentes metodologias em treinamento de futebol, força e condicionamento, treinamento de desempenho e análise de dados. Entre os convidados, estão preparadores de clubes de futebol como Manchester United, Los Angeles Galaxy, Luneng Taishan e Inter de Milão. As modalidades basquete e hóquei também terão representantes na programação, com os preparadores do Sant Antonio Spur, time da NBA, e do Los Angeles Kings, equipe de hóquei no gelo.

– É o primeiro simpósio com esse tema realizado pelo Los Angeles Galaxy, no centro de treinamento deles, que é de alto nível. É um evento que reúne grandes profissionais da área e que só vai agregar dentro do nosso trabalho desenvolvido dentro da Seleção Brasileira – disse Fábio.

O ciclo de palestras é uma extensão do trabalho de acompanhamento que a Seleção Feminina vem fazendo com as atletas que atuam fora do país. Fábio explicou que, assim como é feito na equipe masculina do Brasil, a comissão do técnico Vadão está em constante contato com os clubes internacionais para unificar dados sobre as brasileiras.

– Estamos enviando os relatórios de todas as convocações, com todos os treinamentos, dados do GPS, volume e intensidade de treinos. Essa troca está sendo ótima para aproximar a relação com os clubes de fora. Conversamos com a comissão da masculina e padronizamos esse acompanhamento com o jeito que eles fazem.

Então acredito que vai facilitar bastante para visitar e acompanhar as meninas de fora. Agora é uma situação diferente do que a gente tinha de 2014 para 2015, antes do Mundial, quando tínhamos apenas duas atletas fora. Hoje temos a grande parte, ou a maioria, que joga fora. Então tende a evoluir, porque vamos monitorar e acompanhar elas de perto para chegar no Mundial bem fisicamente também – concluiu o preparador físico da Seleção Feminina.

A outra fase do planejamento é acompanhar in loco treinos e jogos das atletas convocáveis que atuam fora do país até a Copa do Mundo da categoria, que será em 2019, na França.