Prefeitura está preservando matas ciliares antes ocupadas e proporcionando lazer à população

Prefeitura está preservando matas ciliares antes ocupadas e proporcionando lazer à população
Assessoria

O Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (Prad) que está sendo executado em Rondonópolis é responsável por promover a revitalização e manutenção das matas ciliares às margens do Rio Vermelho e Córrego Piscina anteriormente ocupadas irregularmente por cerca de 200 famílias que foram realocadas para morar no residencial Dona Fiúca.

O Prad está em execução no bairro Boa Esperança, na Vila Mamed, às margens do Rio Vermelho, e nos bairros Jardim Alvorada, Estrela Dalva e Morumbi, às margens do Córrego Piscina. Estão sendo investidos mais de R$ 1,1 milhão em recursos do governo Federal, por meio da Caixa Econômica Federal, com contrapartida do município.

A intenção, é revitalizar a manter as matas ciliares, preservando o meio ambiente e cursos de água. Para que isto fosse possível, as famílias que moravam nas áreas de mata ciliar receberam novas moradias e as antigas casas foram demolidas, o espaço foi limpo e o projeto de revitalização teve início.

Na Vila Mamed, depois de realocadas as famílias houve a demolição dos imóveis, limpeza da área, plantio de grama e de árvores nativas. O espaço conta ainda com uma pista de caminhada e serão construídos quiosques recreativos.

No Córrego Piscina, as famílias também foram realocadas, a área foi limpa e está sendo realizado o plantio de gramas, árvores nativas, construção de pista de caminhada e quiosques para o descanso e recreação da população.

Já no Jardim Boa Esperança, após a realocação das famílias, as casas foram demolidas, foi feita uma limpeza e terraplanagem. O local ainda receberá plantio de gramas e árvores e será construída uma praça com calçada e pista de caminhada.

Segundo o secretário municipal de Habitação e Urbanismo, Paulo José Correia, o Prad busca colocar a cidade de frente para os rios, retirando quem habitava irregularmente as matas ciliares e corriam riscos de desabamentos em função de erosões às margens dos rios e córregos e de alagamentos.

O programa ainda prevê a construção de um salão de múltiplo-uso no residencial Dona Fiúca para atender a população que foi realocada para o residencial e a regularização fundiária das famílias que habitam bairros às margens do Córrego Piscina.

Indiretamente, conforme Paulo José, cerca de 2 mil famílias estão sendo beneficiadas com o Prad, com a retirada das áreas de risco e obtenção de novas moradias, bem como pela regularização fundiária e a construção de áreas que vão preservar o meio ambiente e proporcionar espaços de lazer, em locais antes ocupados por moradias irregulares.