Prefeito se reúne com grupo de mulheres e garante manutenção e segurança no aeroporto

Wheverton Barros/Assessoria

O prefeito Zé Carlos do Pátio recebeu nesta quinta-feira (14) na sala de reunião da Prefeitura o grupo de mulheres prol Rondonópolis para debater sobre a situação atual e concessão do Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco.

O prefeito declarou apoio à concessão e apontou que atenderá todas as necessidades de manutenção e segurança do aeroporto para o bem-estar dos usuários.

O prefeito explicou que a limpeza do aeroporto está normalizada tanto interna como externamente e um trator da Prefeitura passará a cuidar do pátio do aeroporto.

Também esclareceu que está aberto às sugestões do grupo de mulheres para garantir a manutenção, já que é consenso entre Prefeitura e mulheres que investimentos não são viáveis em função da eminente concessão que está em andamento pelo Governo Federal.

Pátio destacou ainda a importância da participação da sociedade civil nos debates pertinentes ao município, que visem melhorias no desenvolvimento da cidade, nos indicadores sociais e na qualidade de vida de toda a população.

Quanto ao aeroporto, Pátio reforçou que no início da gestão foram pagos aproximadamente R$ 750 mil do Rnav e que os serviços sempre tiveram prioridade em serem mantidos pela Prefeitura, inclusive com um convênio com o Governo do Estado para o pagamento pela Prefeitura de policiais e bombeiros para atuarem na segurança do aeroporto.

A superintendente do Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco, Bianca Araldi, explanou que o aeroporto da cidade é hoje considerado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) como de Classe 1B, critério definido pela média anual de passageiros e que o Rnav somente depende ainda de questões documentais para começar a operar. Ela acredita que até julho o processo junto à Anac já esteja concluído.

Bianca explicou que hoje não há problemas estruturais para serem sanados no aeroporto, que está com as cercas arrumadas e com um sistema de abastecimento bastante eficaz. “O que atrasou a homologação do Rnav foi uma mudança na legislação”, destacou.

Porém a superintendente do aeroporto reforça que mesmo com o Rnav não há uma solução 100% efetiva para evitar que voos sejam cancelados em função do mau tempo. “O Rnav resolve uma parcela dos cancelamentos de voos, mas não sua totalidade, pois se o teto estiver muito baixo as aeronaves ainda não poderão operar”, disse.

Para a empresária Tânia Balbinotti, o importante mesmo é manter a manutenção do aeroporto de forma eficaz, bem como a segurança, já que investimentos seriam um desperdício de dinheiro público em função do processo de concessão em andamento.

Ela e demais mulheres do movimento prol Rondonópolis voltam a se reunir com a superintendente para definir metas de manutenção satisfatórias conforme determinação do prefeito.