Porque minha cirurgia plástica não ficou tão boa

Porque minha cirurgia plástica não ficou tão boa

Algumas mulheres quando passam por uma cirurgia plástica querem que o resultado fique igual de uma amiga ou de alguma celebridade. Só que nem sempre é possível.

Tudo depende do seu biótipo, ou seja, a cirurgia plástica realça o que você já tem de bonito no seu corpo, como uma prótese de silicone, ou de glúteo, uma abdominoplastia, ou uma lipoaspiração, um enxerto de gordura, um afinamento de nariz, mas isso não quer dizer que vai ficar como da celebridade ou da sua amiga.

Nos Estados Unidos com o crescimento de “pacientes descontentes” com as cirurgias plásticas que realizaram, muitos médicos americanos aderiram ao “re-do’”, ou seja,  cirurgias de correção.

Por exemplo, no caso de uma rinoplastia (cirurgia corretiva do nariz) é difícil assegurar 100% ao paciente que o resultado final porque depende a cicatrização de cada paciente. Existem limitações técnicas que dependem do próprio paciente.

Também temos os  retoques da lipoaspiração que é o procedimento mais sujeito a modismos, desinformação e especulação. A começar pela chamada “lipoescultura” que passa a ideia que o cirurgião vai  “esculpir” o corpo da paciente e transformá-la em outra mulher. Só que existem limitações técnicas que dependem do próprio paciente, visto que  apesar da cirurgia ter corrido tudo dentro do esperado, acontecem desvios na evolução do resultado, pois o organismo responde de diferentes formas a nova forma desenhada pelo cirurgião.

Nesse momento  conta muito a experiência na área do cirurgião plástico que fará com que haja  diminuição da quantidade e da amplitude dos retoques. Mas,  todos estamos sujeitos a ter que fazer um retoque a pedido da paciente que ficou descontente, já que a cirurgia plástica não é uma ciência exata e não é possível “contratar” garantias absolutas.

Por isso, é importante ficar atentos às propagandas enganosas dizendo que uma cirurgia plástica pode ser rápida, simples, indolor – adjetivos muito usados em comerciais para convencer os pacientes – gera muitas fantasias. E quando a fantasia é exagerada, muitas vezes, o resultado é diferente do que se esperava.

Pode ser ‘arrumado’ com os retoques, que todo cirurgião plástico faz. Contudo, cabe ao bom cirurgião plástico esclarecer todas as dúvidas do paciente e dar as informações necessárias para uma boa indicação e evolução da cirurgia.

Benedito Figueiredo Junior é cirurgião plástico na Angiodermoplastic. E-mail: [email protected]