Nova tabela de fretes deve impactar setor de grãos em mais R$3,4 bi

Nova tabela de fretes deve impactar setor de grãos em mais R$3,4 bi
Marcelo Camargo/Agência Brasil

R$ 3,4 bilhões, este será o custo adicional para o setor de grãs do Brasil.

Após a ANTT divulgar a nova tabela de fretes para o transporte para o para transporte rodoviário.

A informação é do diretor-geral da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), Sérgio Mendes.

O cálculo leva em conta a área plantada com soja e milho no Brasil e a rota de Rio Verde (GO) até o Porto de Santos (SP).

Este trecho é considerado um dos mais tradicionais para o escoamento desses produtos pelo país.

Antes da imposição de uma tabela, os fretes por tonelada de soja e milho giravam em torno de 170 reais a tonelada.

O custo do frete subiu para 225 reais e agora passou para em torno de 236 reais.

Levando-se em consideração o reajuste médio de 5 por cento previsto nos novos valores.

“É um passivo que as empresas nem sabem como fazer. Dentre os compromissos que tem, principalmente com soja, com o comércio internacional. Tem a China, que está comprando mais do Brasil por causa da disputa com os Estados Unidos. O Brasil não tem como deixar de fornecer”, afirmou Mendes.

“Se antes a tabela já era super pesada, impossível de se imaginar, agora fica pior ainda… A tabela anterior, ou qualquer tabela, para o setor, onde as margens são extremamente estreitas, qualquer coisa que você insere aí não tem como repassar. Você tem de deglutir esse custo adicional.”

“Nos últimos quatro anos, a margem líquida das exportadoras de grãos foi de cerca de 1 por cento”, afirmou.

Mendes acrescentou que, por ora, tanto produtores quanto exportadores não estão deixando de fechar negócios, na expectativa de uma reversão dessa situação, mas comentou que “apenas o governo tem cacife” para alterar isso.