Morre filho de casal gay espancado por colegas de escola

presos filmam tortura a rival dentro de penitenciária

O adolescente de 14 anos que teria sido agredido pelos colegas na semana passada, por ter pais gays, morreu nesta segunda-feira (9), em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo. Ele estava internado em estado grave, após dar entrada no hospital Hospital Regional da Cidade com uma parada cardiorrespiratória, onde também teve uma hemorragia cerebral.

Segundo uma prima do adolescente, as agressões ocorreram na manhã de quinta-feira (5). A mulher disse ainda que o menor vinha sendo perseguido por colegas da Escola Estadual Doutor José Eduardo Vieira Raduan e, na data da suposta agressão, eles fizeram um círculo em volta do garoto para dar socos e pontapés nele. Ao fim da agressão, ele foi até a sala de aula, onde quase desmaiou.

No dia da ocorrência, a Secretaria de Educação do Estado informou que não sabia os motivos da internação do adolescente e afirmou que a escola estava à disposição da família e da polícia para prestar esclarecimentos.

A prima do adolescente, entretanto, diz que "a Secretaria está omitindo o caso e só vai assumir quando o delegado bater o martelo". Apesar de que, segundo ela, um investigador já foi até a escola e confirmou o caso de agressão.

Em contato com o Portal da Band, a Secretaria de Educação do Estado garante que não há nenhum registro de agressão no interior da escola onde o adolescente estudava. Além disso, imagens das câmeras de segurança já estão à disposição das autoridades para tentar esclarecer o que ocorreu.