Mapa promove ações na Semana Mundial de Conscientização do Uso Racional de Antibióticos 2018

Ação anual busca alertar para o perigo da criação de resistência aos antimicrobianos

Ação anual busca alertar para o perigo da criação de resistência aos antimicrobianos
Antonio Araújo/Mapa

A resistência aos antimicrobianos no ser humano, agravada pelo uso incorreto e indiscriminado desses produtos, poderá causar 10 milhões de mortes até 2050, com gastos de US$ 100 trilhões, conforme projeções do governo britânico, se nada for feito para enfrentar o problema.

Por isto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) promovem, de 12 a 18 de novembro, a Semana Mundial de Conscientização do Uso Racional de Antibióticos 2018.

As ações do Brasil foram discutidas nessa segunda-feira (12), em evento organizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), envolvendo representantes do Ministério da Saúde (MS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) e Aliança para o Uso Responsável de Antimicrobianos.

Durante esta semana, o Mapa publicará informes da OIE alertando sobre a resistência aos antimicrobianos e o uso prudente e responsável de antibióticos. O slogan da OIE neste ano é “Precisamos de você – use antimicrobianos com cuidado”.

As principais recomendações da OIE em relação aos antimicrobianos são: fortalecer a supervisão do uso por médicos veterinários; prover regulamentação e governança efetivas; promover o uso responsável e prudente; elaborar recomendações para o uso de antimicrobianos criticamente importantes; realizar avaliação de risco para o uso de antimicrobianos como promotores de crescimento e reduzir o uso não terapêutico.

Em maio de 2018, o Ministério publicou o Plano de Ação Nacional para Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos no âmbito da Agropecuária, o PAN-BR AGRO, com duração inicial de cinco anos, com diversas atividades previstas para estimular o uso racional de antibióticos em animais.

Segundo a coordenadora de Programas Especiais do Departamento de Fiscalização de Insumos Pecuários (DFIP), Suzana Bresslau, “o Mapa buscará estratégias para reverter o quadro da resistência antimicrobiana”.

Os objetivos do Plano são melhorar a conscientização e a compreensão a respeito da resistência aos antimicrobianos; fortalecer os conhecimentos e a base científica por meio da vigilância e pesquisa; reduzir a incidência de infecções com medidas eficazes de higiene e prevenção de infecções; otimizar o uso de antimicrobianos e preparar argumentos econômicos voltados ao investimento sustentável.

A chefe de Divisão de Bem-estar Animal e Equideocultura da Coordenação de Boas Práticas e Bem-estar Animal, Lizie Buss, explicou que “manter os animais saudáveis é responsabilidade de todos os produtores rurais e tutores de animais de estimação, portanto é necessário adotar boas práticas para elevar o grau de bem-estar dos animais, minimizando o uso de medicamentos em geral, especialmente os antibióticos”.

“Os médicos veterinários e indústrias farmacêuticas devem recomendar os produtos corretos, somente quando necessário, orientando claramente sobre o tempo de tratamento, a dosagem e via de administração dos produtos”.

“Os comerciantes, por sua vez, devem vender antibióticos apenas mediante apresentação de receita do médico veterinário, orientando os clientes quanto aos cuidados com armazenagem e descarte destes medicamentos”, completa Lizie Buss.