Mãe e padrasto suspeitos de enforcar menor são presos em MT

Um casal foi preso na manhã desta quinta-feira (14), em Sorriso – MT, acusados de tentar matar enforcada uma criança de 12 anos

Mãe e padrasto suspeitos de enforcar menina de 12 anos são presos em Sorriso
Foto: Assessoria

Um casal foi preso na manhã desta quinta-feira (14), em Sorriso – MT, acusados de tentar matar enforcada uma criança de 12 anos.

A mãe adotiva e o padrasto são apontados como os autores da tentativa de homicídio contra a menor.

ocorrida em agosto de 2017. mulher, que é professora, foi presa ao chegar na escola em que trabalha.

Já o padrasto foi preso em casa quando se preparava para sair.

Ambos declararam, na época, que teria ocorrido uma tentativa de suicídio, por meio de enforcamento.

Foi constatado através de análise de câmera de videomonitoramento, que passaram-se duas horas antes dos responsáveis acionarem o Corpo de Bombeiros.

40 minutos após o crime, os suspeitos chegaram a chamar um pastor para expulsar um demônio do corpo da menina.

Devido à gravidade das lesões, a criança foi transferida para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na Capital.

A mãe se recusou a acompanhar a criança justificando que iria se casar no dia seguinte e falou que uma amiga acompanharia a menor.

Enquanto estava internada a menor teria “caído” da cama, quando estava acompanhada da mãe.

Tal fato fortaleceu as suspeitas contra o casal.

A menina foi transferida para uma casa de apoio para menos em fevereiro deste ano.

Com auxílio intenso de psicólogos a menina voltou a falar em maio e contou como ocorreram os fatos.

Motivo do enforcamento

A criança teria mexido em uma caixa de DVDs, e por isso apanhou e foi enforcada com o fio do ventilador.

De acordo com o delegado da Polícia Civil, Andre Eduardo Ribeiro, a mãe participou de forma omissa na tentativa de homicídio.

“No momento do crime ela acompanhava tudo na sala, cantando enquanto a menina era enforcada”.

A menina relatou que apanhava muito da mãe adotiva e do padrasto.

Além de ser obrigada a fazer todas as tarefas domésticas.

Os suspeitos serão colocados à disposição do Judiciário para deliberação. A menor esta sob guarda do pai adotivo.