Jogadoras falam da emoção de estrear no Mundial Feminina Sub-17

Divulgação/FIFA/Getty Images

Fim da espera! Diante do Japão, a Seleção Brasileira Feminina Sub-17 fez sua estreia com um empate em 0 a 0, nesta terça-feira (13), no Mundial do Uruguai 2018, no Estádio Domingo Burgueño Miguel, em Maldonado.

A expectativa era grande, já que se trata da primeira Copa do Mundo de todas do elenco, e também, a competição mais importante do ainda breve currículo como jogadoras. Antes, o principal campeonato delas era a conquista do Sul-Americano, neste ano, na Argentina.

– Nossa é uma sensação incrível, eu já tinha participado do Sul-Americano, mas Mundial nem se fala. É incrível representar uma nação inteira em uma Copa do Mundo, que é muito difícil, ainda mais estreando contra a Seleção japonesa, com os meus pais assistindo, o Brasil inteiro torcendo, então é uma sensação indescritível – revela Julia, meio-campo e titular na partida diante do Japão.

A ansiedade foi acompanhada por toda a Comissão e jogadoras. Maria Luiza não começou jogando, mas aos do 16 minutos do segundo tempo ouviu o chamado do técnico Luizão e aí veio o frio na barriga.

– É uma sensação incrível quando ele gritou lá “Malu, vem”, nossa eu sai correndo dei um pique. Quando entra parece que o nervosismo passa, mas jogar um Mundial é algo incrível.

Foi um grande jogo, conseguimos impor o nosso jogo o que é mais importante. Teve o nervosismo de estreia de Copa do Mundo, jogo transmitido pela televisão, mas conseguimos sair com o empate, isso que importa – conta a meio-campo.

Para quebrar o nervosismo, os familiares das jogadoras marcaram presença no jogo de estreia. Seja com gritos vindos da arquibancada ou com muitas buzinas para animar as Canarinhas, lá estavam eles incentivando em todos os momentos.

– Minha mãe e meu pai estão sempre me acompanhando jogar, foram no Sul-Americano, eles queriam vir pra cá de qualquer jeito, conseguiram vir e estão sempre me apoiando e me ajudando. É muito importante ter a torcida das nossas famílias presentes aqui, isso só dá mais apoio – conta Maria Luiza.

– Nossa é uma motivação a mais, saber que os pais estão sempre te apoiando por onde a gente vai eles estão sempre seja longe ou perto, eles estão sempre do nosso lado, isso é a coisa mais importante para nós. – revela Julia.

Ao final da partida, os familiares puderam encontrar as jogadoras para dividir a emoção da estreia, e sim, todos orgulhosos com a trajetória delas até aqui.

Ainda pelo Grupo B, México e África do Sul também ficaram no empate, em 0 a 0. Todas as equipes tem o saldo de 1 ponto, mas o Brasil é líder devido ao saldo de cartões amarelos (0).

O segundo compromisso do Brasil no Mundial será na sexta-feira (17), às 17h local (18h de Brasília), diante da Seleção do México, no Estádio Domingo Burgueño Miguel, Maldonado. Nesta quarta-feira (14), as titulares farão treino regenerativo e as reservas treinarão no campo, ambas as atividades pela manhã, no Solanas Hotel.