Francis Ford Coppola admite ter feito “O Poderoso Chefão 3” por dinheiro

Francis Ford Coppola entra no futuro dos filmes com o projeto de cinema ao vivo
Francis Ford Coppola é considerado um dos maiores diretores do cinema mundial

Embora ainda seja um assunto de pouca discussão, muitas pessoas concordam que o último filme da lendária trilogia O Poderoso Chefão, dirigido pelo diretor Francis Ford Coppola, não chega no mesmo nível dos outros dois.

O longa é definitivamente uma obra peculiar, uma vez que foi lançado mais de quinze anos após a segunda edição da trilogia e, já naquela época, não recebeu os mesmos elogios de seus predecessores.

Mas como aponta a NME, uma entrevista desenterrada do diretor Francis Ford Coppola indica que o filme não foi feito com a melhor das intenções.

Ao participar do Inside the Actors Studio with James Lipton em 2001, Coppola admitiu que voltou para a franquia após uma década apenas pelo incentivo financeiro.

“Nós estávamos pobres”, disse o diretor. “Você precisa entender que alguns dos filmes que está mencionando — Apocalypse ou até mesmo os filmes de O Poderoso Chefão — são lembrados com carinho atualmente, mas na época de lançamento não era bem assim”.

“Algumas pessoas gostavam deles e algumas não. Naquela época, eu não sabia o que fazer. Eu tinha passado por tantas aventuras e finalmente Frank Mancuso [antigo chefe da Paramount Studios] veio falar comigo e disse, ‘Você faria O Poderoso Chefão 3?”.

E ele continuou.

“Eu pensei sobre isso e percebi que eu poderia fazer um acordo que nos colocaria numa situação boa novamente. Eu realmente sentia que era minha obrigação com a minha esposa de ganhar uma grana e guardar isso pra ela e para preservar nosso lar eu escolhi fazer isso”.

 

Biografia de Francis Ford Coppola

 

Francis Ford Coppola (1939) é um produtor, roteirista e diretor de cinema norte-americano. Adaptou e dirigiu uma das mais aclamadas trilogias do cinema, “O Poderoso Chefão”.

Francis Ford Coppola asceu em Detroit, nos Estados Unidos, no dia 7 de abril de 1939. Filho dos imigrantes italianos Carmine Coppola, músico e compositor, e da atriz Italia Coppola, cresceu no bairro de Queens, em Nova Iorque.

Com nove anos contraiu poliomielite que o obrigou a permanecer longo tempo na cama.

Depois de graduar-se na escola de cinema da Universidade de Los Angeles, colaborou com Roger Corman em vários filmes de terror.

Realizou seus primeiros trabalhos como diretor recebendo elogios do público e da crítica. Em 1969 venceu seu primeiro Oscar por seu trabalho como roteirista de Patton.

Chamou a atenção da Paramont que o contratou como roteirista e diretor do filme “O Poderoso Chefão” (1972).

O filme, uma adaptação do livro Homônimo de Mario Puzo, se transformou em um clássico do cinema. Recebeu o “Oscar de Melhor Roteiro Adaptado” de 1973, e Coppola foi indicado como Melhor Diretor.

O filme conta a história da família mafiosa dos Corleones. É estrelado por Marlon Brando e Al Pacino. Em 1974, dando continuidade à saga, Coppola lançou “O Poderoso Chefão II”, que em 1975, venceu o “Oscar de Melhor Filme”, “Melhor Diretor” e “Melhor Roteiro Adaptado”.

Em 1990 lançou o terceiro filme da saga, “O Poderoso Chefão III”, que apesar de não receber a aclamação da crítica, em 1991 recebeu sete indicações ao Oscar, incluindo o de Melhor Filme e Melhor diretor.

Ainda nos anos 70, Francis Ford Coppola fez grande sucesso com o lançamento de “Apocalypse Now” (1979), baseado na novela de Joseph Conrad, “Heart of Parkness” de 1908.

A história gira em torno de Benjamin L. Willard, um capitão do exército dos Estados Unidos, em plena Guerra do Vietnam.

Rodado nas Filipinas o filme se tornou a mais cara experiência de Coppola, que teve que hipotecar sua casa para conseguir financiamento para terminar as gravações.

O filme recebeu indicação ao Oscar de Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Diretor.

Após Apocalypse Now Coppola realizou filmagens de menor custo financeiro, porém memoráveis, entre elas: “O Fundo do Coração” (1982), “Vidas Sem Rumo” (1983), “O Selvagem da Motocicleta” (1983) e “Cotton Club” (1984). Depois da terceira parte da O Poderoso Chefão (1990), Coppola lançou “Drácula de Bram Stoker” (1992), filme que foi fiel a novela Drácula (1897), do autor irlandês Bram Stoker. Coppola combinou a história de terror com uma história romântica e épica.

Entre outros filmes que contou com a participação de Coppola destacam-se: “As Virgens Suicídas” (1999), “Velha Juventude” (2007), “Virgínia” (2011), “Seduzido e Abandonado” (2013), “Harold and Lillian: A Hollywood Love Story” (2015) e “Olhos Famintos 3” (2017).