Encontro traça um raio-x da segurança em Rondonópolis

0
encontro traça um raio-x da segurança em rondonópolis

O 1º Encontro Municipal de Segurança ACIR, trouxe para Rondonópolis as autoridades que têm como missão garantir a tranquilidade da população mato-grossense, a segurança das pessoas e proteção do patrimônio.

O presidente da Associação Comercial Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR), Juarez Orsolin abriu os trabalhos expondo a preocupação do setor produtivo de Rondonópolis, por conta dos números de ocorrências policiais que são registradas diariamente e que fazem parte das manchetes dos meios de comunicação, além da posição 122º lugar no ranking nacional entre as 150 cidades brasileiras mais violentas.

“Decidimos realizar este encontro com as autoridades competentes e a sociedade, com o intuito de promover o debate, visto que a violência está refletindo diretamente na vida e na tranquilidade das famílias e dos cidadãos tanto de bairros como da região central. Empresários, comerciantes, prestadores de serviços e industriais se sentem ameaçados diuturnamente e por isso convidamos os representantes da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Gabinete de Segurança Pública do Município, Ministério Público, Exército Brasileiro (18º GAC) e o Corpo de Bombeiros Militar locais, e também a Secretaria de Estado de Segurança Pública, para que possamos juntos entender os problemas enfrentados e saber o que pode e o que será feito”, disse Orsolin.

Compuseram a mesa dos trabalhos o Cel. Marcos Cunha – comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso, tenente-coronel Wilker Soares Sodré – comandante do 4º Comando Regional da PM, Fernando Vasco – delegado-geral da Polícia Judiciária Civil, delegado João Paulo de Andrade Farias – delegado regional da Polícia Civil, Gustavo Garcia – secretário de Estado de Segurança Pública e o promotor de justiça Jorge Paulo Damante Pereira, representando o Ministério Público do Estado.

O Comando da Polícia Militar do Estado e da Regional Sul expuseram os números e as ações mais relevantes que a PM vem executando e que trouxeram uma redução nos índices de violência. O comandante geral Marcos Cunha disse que os resultados positivos da PM estão diretamente ligados ao trabalho em conjunto entre as polícias Militar e Civil.

“Lembramos que nossos maiores problemas hoje são com relação aos menores infratores e os reincidentes. Tem muitos indivíduos que conquistaram a liberdade e estão aqui fora promovendo furtos, roubos e assaltos. Quanto aos menores de idade, nossa estrutura no Socioeducativo não permite que eles sejam apreendidos, não temos espaço”, frisou o Cel. Marcos Cunha.

Já o Cel. Wilker ressaltou que a comunicação também é outro entrave para o bom resultado dos trabalhos. “Precisamos nos equipar melhor, com rádios eficientes e sem possibilidades de violação e rastreamento para que os infratores não descubram com antecedência nossos planos de ação”.

Pela Polícia Judiciária Civil, o delegado geral Fernando Vasco e o delegado regional João Paulo de Andrade Farias, apresentaram a redução dos números principalmente de homicídios (33%) e roubos (40%) comparando o primeiro trimestre de 2017 com o mesmo período deste ano. “Precisamos continuar o trabalho integrado entre as polícias e buscar mais tecnologia de comunicação e também estrutura para manter os infratores fora das ruas. Acreditamos que com a construção do novo prédio da unidade Socioeducativa teremos mais resultados”, destacou o delegado regional.

O promotor de justiça do Estado, Jorge Paulo Damante Pereira representou o Ministério Público de Mato Grosso e alertou que os problemas de insegurança não só em Rondonópolis, mas em todas as cidades brasileiras tem dois problemas. “Primeiro são nossas leis que não são rígidas, são antigas e permitem que ‘bandidos’ tenham mais força que os homens de bem. Em segundo lugar enfrentamos o ‘garantismo’ penal, cuja interpretação dessas leis impróprias praticamente defendem os que praticam a violência. Por isso existe a prática do prende e solta”, desabafou o promotor público.

Encerrando as exposições da manhã onde a segurança esteve em foco no auditório da ACIR, o secretário de Estado de Segurança Pública, Gustavo Garcia, garantiu que a tendência é baixar os índices em Mato Grosso. “Estamos vendo investimentos em pessoal e em estrutura para as polícias, a integração entre a PM e a PJC também colabora e, por último, a sociedade está se organizando em busca dessas melhorias. Precisamos trabalhar juntos e essa parceria pode realmente provocar a queda nos índices de violência no Estado”.

Na sequência o público presente fez ponderações, apresentou sugestões e questionou as autoridades, para que Rondonópolis seja guarnecida de mais policiais, mais tecnologia e, enfim, mais segurança. Por fim o presidente da ACIR, Juarez Orsolin entregou ao secretário de Segurança do Estado um ofício, solicitando a instalação de uma unidade do Corpo de Bombeiros no centro da cidade, para que os atendimentos sejam agilizados e mais eficientes.

Juarez Orsolin agradeceu a presença de todas as autoridades e dos representantes da sociedade organizada de Rondonópolis, que colocaram no auditório da ACIR, além dos poderes públicos, os Clubes de Serviços, Sindicatos, Conselhos de Segurança, entidades representativas como CDL, OAB e Observatório Social. Todos os presentes assinaram a Ata do 1º Encontro Municipal de Segurança ACIR, como forma de oficialização do debate e compromisso de todos de manter uma parceria pela segurança em Rondonópolis.