Empresários, sindicatos, associações e entidades de Rondonópolis participam de workshop sobre diversidade e inclusão no ambiente de trabalho

Fundação Bunge

Após o lançamento do projeto que irá atender jovens e pessoas com deficiência em Rondonópolis, empresários, representantes de sindicatos, associações, entidades e da prefeitura participaram de um workshop de sensibilização, onde foram abordados temas como diversidade e inclusão no ambiente de trabalho.

O encontro aconteceu na tarde de terça-feira, 9 de outubro, na sede da Secretaria de Assistência Social de Rondonópolis.

Na ocasião, João Carlos dos Santos, gerente de Recursos Humanos do Grupo Petrópolis destacou a importância de debater os temas com profissionais de RH. “É nossa obrigação ter um olhar mais humano durante nossas avaliações”.

A nossa cidade tem muitos jovens e pessoas com deficiência que estão à espera de oportunidades. São pessoas que querem crescer e se desenvolver e a falta de profissionalização e de oportunidades é um desafio que nós, como parte do empresariado, precisamos ajudar o município a superar”, disse.

Guilherme Françolin, sócio-diretor da consultoria Santo Caos e responsável pelo conteúdo do workshop, ressaltou o exercício diário que todos os participantes do projeto devem fazer.

“A contratação é só o começo da etapa. É preciso pensar em como reter os colaboradores, compreendendo o potencial de cada um, oferecendo oportunidade de inclusão e desenvolvimento profissional. Não podemos contratar somente para cumprir cotas, mas sim porque temos a certeza que o funcionário irá nos ajudar a inovar dentro da empresa e a construir uma sociedade mais justa”, afirmou.

O projeto lançado nesta terça-feira, 9 de outubro, é uma iniciativa da Fundação Bunge, instituição sem fins lucrativos que coordena projetos educacionais e de desenvolvimento territorial em várias regiões do Brasil e surgiu da necessidade de solucionar dois problemas que prejudicam o crescimento econômico e a inclusão social em Rondonópolis: dificuldade para preencher vagas de emprego disponíveis na região e o cumprimento de duas leis importantes – Lei da Aprendizagem, que determina que todas as empresas de médio e grande porte devem contratar de 5% a 15% de jovens entre 14 e 24 anos; e a Lei para PCDs, que garante a inclusão no mercado de trabalho de pessoas com algum tipo de deficiência.

Claudia Calais, diretora executiva da Fundação Bunge, explica que o projeto está construindo uma Rede de Trabalho para promover inclusão e influenciar políticas públicas para emprego e renda na região.

“Estamos reunindo diversos setores da cidade para que cada um, com a sua expertise, contribua da melhor maneira para atender jovens e as pessoas com deficiência. Não é filantropia, mas o desejo de estabelecer um equilíbrio neste ciclo: profissionais de alto nível para o mercado e emprego e renda para o município”.

Além do Ministério Público Estadual, da Justiça da Infância e Juventude e da Prefeitura de Rondonópolis, por meio da Secretaria de Promoção e Assistência Social, o projeto, que está aberto a outras empresas, associações, entidades e sindicatos, já conta com a participação da Amaggi, Associação Comercial, Industrial e Empresarial da cidade (ACIR); Associação KoBra; Bunge (Unidade Rondonópolis); Fundação Bunge; Grupo FAAT; Grupo Petrópolis; Nutripura; Tropical Melhoramentos e Genética (TMG); SENAI; SESC, Senac; SESI; Sindicato das Indústrias de Alimentação da Região Sul do Estado do Mato Grosso (SIAR SUL); Sementes Adriana; Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Rondonópolis (SINDIMEC-SUL); Sistema Nacional de Emprego (SINE); e Sistema Federação das Indústria no Estado do Mato Grosso (FIEMT).

No próximo dia 30 de outubro, os integrantes da Rede de Trabalho irão participar de mais uma fase do workshop de sensibilização. A atividade acontecerá no Senai de Rondonópolis.