Deputado Sebastião Rezende reivindica para Rondonópolis, soluções para problemas em obras

O deputado Sebastião Rezende (PSC) esteve novamente esta semana na Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística, com o secretário Marcelo de Oliveira. O parlamentar, que tem a base política na região sudeste de Mato Grosso, várias reivindicações voltadas para obras de infraestrutura localizadas na região e para Rondonópolis.

*Na região sudeste, que é composta por aproximadamente 19 municípios, Rondonópolis é considerada a cidade-polo. Para o município, Sebastião Rezende aproveitou a reunião para solicitar ao Secretário que faça alguns ajustes imprescindíveis na Canalização do Córrego do Canivete na Av. Bandeirantes, onde será necessário o alargamento do canal para evitar o trasbordamento em momento de muita chuva.

Segundo a empresa responsável pela construção, 90% das obras já fora concluída. Rezende afirmou ao Secretária que trabalhou muito para ver reiniciada esta obra que estava paralisada e ainda, junto ao governo do estado conseguiu incluir no projeto a construção de quatro pontes ao longo da Canalização e todo o sistema de drenagem, ligando a rede pública de águas Pluviais ao longo dos 2,7km de Canalização do Córrego do Canivete até o Córrego Arareau.

Aproximadamente 40 bairros de Rondonópolis serão beneficiados. *Marcelo Oliveira, assumiu o compromisso com Sebastião Rezende de chamar a empresa responsável pelo projeto e a empresa responsável pela obra, para estudar meios de resolver este problema na Av. Bandeirantes.

Outra obra lembrada pelo deputado ao secretário Marcelo Oliveira foi a duplicação da avenida Rio Branco. De acordo com Rezende, trabalhou muito com o apoio do governo estadual para que o recurso não fosse perdido e a obra que estava paralisada fosse reiniciada pela empresa. Ainda conseguiu junto ao governo estadual a inclusão de aproximadamente R$ 800.000,00 para ciclovia e pista de caminhada no canteiro central e após aprovação dos projetos pelo governo federal, a empresa executou todos os serviços.

De acordo com Rezende, o serviço de duplicação, bem como a pista de caminhada e ciclovia, foi feito, mas sem qualidade. Por isso, representantes da Secretaria de Infraestrutura estiveram no local e detectaram baixa qualidade da obra. “O posicionamento do secretário é de que o Estado não vai receber as obras que não tenham qualidade. O próprio Ministério Público Estadual já entrou com uma ação contra a empresa junto ao Judiciário, exigindo-a que refaça os serviços.

Ainda há uma demanda em Rondonópolis, segundo o deputado estadual Sebastião Rezende, que é a recuperação do Anel Viário Conrado Sales de Brito, no trecho que vai da MT 130 até a BR 364. Segundo Rezende, é fundamental para tirar o fluxo de veículo da região central da cidade, são cerca de 10 quilômetros.

E está intransitável, sem acostamento e ainda muito Mato e Sujeira. Rezende solicitou do Secretária a restauração completa, inclusive com acostamento, sinalização horizontal e vertical, redutores de velocidade e as rotatórias de acesso aos bairros.

E tem ainda o acesso da W 11 até a BR 364, a ponte de concreto sobre o Rio Vermelho está sendo executado pelo governo do estado.

O deputado Sebastião Rezende questionou o Secretária, se há projeto aprovado inclusive com licença ambiental deste acesso. O que o Secretária ficou de verificar.

Em relação às demandas reivindicadas pelo deputado Sebastião Rezende, o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, disse que depois de aprovadas os “pacotes de ajustes financeiros”, as demandas são primordiais e imprescindíveis para o desenvolvimento da região, mas esbarra nos recursos financeiros que estarão.

Em relação às obras de baixo nível de qualidade reclamadas pelo deputado, Oliveira disse que esse tipo de serviço será tratado com rigor pela atual administração.

Para o Anel Viário em Rondonópolis, Marcelo Oliveira afirmou que o governo vai fazer a restauração do local. “Em torno de 60 dias, espera que os projetos estejam prontos para iniciar o processo licitatório. Vai dar justamente no período final de chuva. Elaborar o planejamento da Secretaria de Infraestrutura e Logística, que engloba a Secretaria das Cidades”.

Até o momento, de acordo com Oliveira, não é de conhecimento da pasta o montante de recursos financeiros que estará disponível para investimentos. Por isso, a secretaria trabalha com os pés no chão. “Não vou fazer promessas que não podem ser executadas. Não gosto de trabalhar com promessas, nem o governador Mauro Mendes e muito menos o vice-governador Otaviano Pivetta”, explicou o secretário.

Ele disse para Rezende que, se for necessário, o governo fará parceria com os municípios mato-grossenses para terminar as obras inacabadas. “O Estado, em 2019, vai passar financeiramente por momentos difíceis. O déficit financeiro é de quase R$ 2 bilhões”, lembrou Oliveira.