Cinco aeroportos de MT receberão recursos para reforma e ampliação

Pelo menos cinco dos 13 aeroportos de Mato Grosso que compõem o Programa de Aviação Regional (PAR), receberão recursos do governo federal, no próximo ano. A informação foi dada pelo deputado estadual Silvano Amaral (PMDB), que esteve na Secretaria de Aviação Civil (SAC), em Brasília, para pedir celeridade na aprovação dos projetos encaminhados pelas prefeituras à SAC. A previsão é de que as obras de reforma e ampliação comecem a partir do mês de julho de 2016. São eles: Sinop, Tangará da Serra, Rondonópolis, Vila rica e Alta Floresta.

“Essa reestruturação é, sem sombra de dúvida, um grande avanço para o setor econômico do nosso estado. Estamos falando de movimentação econômica e com isso, o município arrecadará mais. O Estado também ganha com isso e a população agradece, já que o objetivo é oferecer uma estrutura de qualidade ao passageiro, com opções de vôo e preço mais acessível”, observou o peemedebista.

Segundo o diretor do Departamento de Gestão do Programa Federal de Aeroportos (DPROFAA), Eduardo Henn Bernardi, os cinco municípios anunciados encontram-se em fase de anteprojeto. Posterior a esse trâmite, somados ao Estudo Ambiental (EA), Eduardo garante que será possível precisar quais os investimentos serão realizados e qual o montante de recursos necessários para cada localidade contemplada no Programa Regional de Aviação (PAR), levando em conta que os projetos poderão sofrer alterações.

O objetivo do governo federal é democratizar o acesso ao transporte aéreo e reduzir o custo das viagens no interior do País. O PAR prevê investimentos de R$ 7,3 bilhões para adequar e ampliar para 270 o número de aeroportos regionais disponíveis para voos regulares. Prevê também, subsidiar as empresas aéreas 50% dos assentos, como forma de garantir o vôo e o passageiro.

Em recente entrevista à imprensa, o ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha explicou que a ideia é democratizar a viagem aérea. “As pessoas sabendo que tem o voo, começam a habituar-se a viajar de avião e começam a fazer disso sua rotina. Estamos conseguindo democratizar a viagem aérea e, com isso, fazer com que todos os brasileiros tenham acesso”, elucidou Padilha.

Ainda sobre a reunião do parlamentar na SAC, Bernardi esclareceu que os demais aeroportos de Mato Grosso receberão recursos após passar por todos os trâmites burocráticos, principalmente o ambiental. Vale ressaltar que, os cinco aeroportos de Mato-Grosso estão na etapa de anteprojetos, ou seja, fase final para licitação e posteriormente a execução da obra.

Para Sinop, foi previsto um cenário de investimento para uma aeronave categoria 4C (B737) com 90% do peso máximo de decolagem; Tangará da Serra o cenário previsto é com base em aeronave categoria C (A319) com 90% do peso máximo de decolagem; Rondonópolis um cenário de investimento para uma aeronave categoria 4C (B737) também com 90% do peso máximo de decolagem; Vila Rica, o investimento é com base em cenário para aeronave categoria 3C (A319) e Alta Floresta, seguindo as mesmas especificações de Vila Rica.

Também aguarda aprovação de projetos, os municípios de Barra do Garças, Cáceres, Juara, Juína, Lucas do Rio Verde, Matupá, Pontes e Lacerda e São Félix do Araguaia. Todos estão sob análise da SAC em fase de estudo preliminar, à exceção de Lucas do Rio Verde que ainda não foi definido o cenário de investimentos para o aeroporto.

Convém observar que, a área está em avaliação de inviabilidade de investimentos no atual sítio aeroportuário. De acordo com Eduardo Bernardi, a SAC está realizando a análise do estudo e também da possibilidade de instalação de um novo aeroporto em área indicada pela Prefeitura.

No relatório entregue ao deputado Silvano, indicando a situação de cada aeroporto, Bernardi assegura que “superadas essas etapas, dar-se-á andamento ao lançamento e publicação do edital de licitação, para contratação da empresa para elaboração do projeto executivo, execução de obras e aquisição de equipamentos nas referidas localidades”.