CDL é homenageada pelo trabalho feito sobre autismo no comércio

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Rondonópolis (CDL) e a Associação de Pessoas com Transtorno Autista foram homenageadas hoje (06-06) na Câmara Municipal pelo trabalho realizado para a conscientização da sociedade sobre o transtorno que afeta centenas de pessoas, de crianças a adultos.

As duas instituições receberam Moção de Aplausos proposta pelo vereador Adonias Fernandes, autor da Lei Municipal que garante acesso prioritário de autistas nas filas e caixas, tal como gestantes, deficientes e idosos.

A CDL realizou o trabalho de conscientização junto aos comerciantes para propiciarem tratamento diferenciado nos estabelecimentos para os autistas clientes e acompanhantes, também doou para a associação dos autistas 500 adesivos com o laço de autismo e as demais prioridades previstas em lei para serem colocados nas lojas, farmácias, restaurantes, entre outros.

Para o vereador, o trabalho realizado pelas entidades deu visibilidade à causa dos autistas e garantiu um olhar diferenciado dos poderes Executivo e Legislativo além de repassar informações importantes sobre o transtorno.

“Colocar o assunto autismo em evidência mudou o comportamento das pessoas e o trabalho realizado pelo Projeto Autismo na Escola e da associação fez com que vários pais conseguissem entender melhor os filhos e até mesmo descobrir que os filhos tinham o transtorno”, ressaltou lembrando que a partir da campanha cidades de Mato Grosso como Sinop já aprovou a lei que dá prioridade para autistas e  em Cuiabá o assunto está sendo debatido. Outras cidades  do Paraná já colocaram o projeto de lei em pauta, assim como São Paulo.

Para o presidente da CDL, Neles Walter Ferreira de Farias, a homenagem é o reconhecimento do trabalho dos comerciantes que aceitaram e entraram no debate sobre autismo que para muitos era um transtorno desconhecido.

“Para nós, valeu muito trabalhar na causa porque vemos que hoje as pessoas têm conhecimento do que é o autismo, a informação chegou de forma correta e mobilizou as pessoas e agora há o reconhecimento da Câmara e da sociedade do que foi realizado. Sempre lembrado que a causa da discussão é que é o foco, no caso o autismo. Esse merece nossa atenção e ficamos felizes em propiciar através da propagação da informação a possibilidade dos autistas serem compreendidos e reinseridas na sociedade”.