Campanha permite adoção de cartas escritas por crianças brasileiras

Em três anos, mais de 2,6 milhões de correspondências ao Papai Noel dos Correios foram recebidas

Mais de 2,6 milhões de correspondências ao Papai Noel dos Correios foram recebidas
Nos últimos três anos, mais de 2,6 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel dos Correios foram recebidas - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Cerimônia realizada em Brasília nesta terça-feira (6) marcou o lançamento da campanha Papai Noel dos Correios, que permite a adoção de cartas de milhões de crianças por pessoas de todo o País.

Podem escrever as cartas para a iniciativa estudantes das escolas da rede pública (até o 5º ano do ensino fundamental) e de instituições parceiras, como creches, abrigos, orfanatos e núcleos socioeducativos, além de crianças que enviam cartas diretamente para o Papai Noel.

Criada há 29 anos, a ação já alegrou o Natal de milhões de crianças espalhadas por todo o Brasil. Apenas nos últimos três anos, mais de 2,6 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel dos Correios foram recebidas.

Como participar

Interessados em apadrinhar o pedido de Natal de uma criança têm duas opções: ir até a uma agência dos Correios ou adotar pela internet. No primeiro caso, o caminho é acessar o blog oficial da campanha e conferir quais agências participam da ação. Não há limite por pessoa para adoção. Porém, é preciso ter responsabilidade: a desistência impede que a carta seja adotada por outro padrinho.

Pela internet, adoção on-line pode ser feita entre 12 e 23 de novembro e é limitada a cinco cartas. A modalidade está restrita a sete capitais: Belém, Cuiabá, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo.

Presentes

Além disso, empresas também podem tornar o Natal de milhares de crianças mais feliz. Para adoções acima de 80 cartas, é necessário preencher um cadastro no site da campanha. Caso seja menor, basta comparecer a uma das agências que participam da ação.

Após as doações, tanto aquelas feitas por pessoas físicas quanto por empresas, os Correios realizam a distribuição dos presentes. Não é permitida a entrega direta do pacote, e o endereço da criança não é informado ao padrinho.