Assistência Social procura idosos e deficientes que ainda não fizeram o cadastramento do BPC

Assistência Social procura idosos e deficientes que ainda não fizeram o cadastramento do BPC

A Secretaria Municipal de Promoção e Assistência Social está à procura de cerca de 1,8 mil idosos e deficientes que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) para que estes façam a inclusão no Cadastro Único e assim não percam o benefício. O prazo final para a inclusão no CadÚnico é dezembro.

O nome das pessoas que recebem o BPC e ainda não fizeram o cadastramento estão fixados em murais nos PSFs da cidade, Cras e no mural da Prefeitura.

Além disso, os beneficiários têm recebido uma carta do INSS para que procedam com o cadastramento, que pode ser feito no Cras mais próximo da residência, nos mutirões realizados periodicamente pela Assistência Social e ainda a unidade do Ganha Tempo.

A secretária municipal de Promoção e Assistência Social, Márcia Rotilli, explica que os beneficiários devem portar os documentos pessoais, comprovante de residência e o cartão do beneficiário para fazer o cadastramento.

Ela reforça que quem perder o benefício terá problemas para reavê-lo. “Quem não fizer o cadastramento até dezembro e perder o benefício terá que passar por um processo que é lento e muito difícil para receber o benefício outra vez e é isso que queremos evitar”, diz.

A perda do BPC afeta diretamente o beneficiário que deixará de receber um salário mínimo por mês, bem como a economia do município.

Somente as cerca de 1,8 mil pessoas que correm o risco de perder o BPC deixaram de receber conjuntamente um montante de aproximadamente R$ 1 milhão por mês, que é injetado na economia local.

Hoje, os beneficiários de Rondonópolis recebem juntos quase R$ 7 milhões mensais.