A absurda nova Placa Mercosul

A absurda nova Placa Mercosul
A nova placa Mercosul perde facilmente a cor ao ser lavado com o metasil, produto muito usado para lavar veículos - Foto: Primeira Hora

A adoção da nova Placa Mercosul vem causando reclamações  e dor de cabeça.

O novo padrão de placas deveria ser adotado em todo Brasil até o dia 31 de dezembro, no entanto, por da Resolução 770/2018, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) adiou a adoção das chapas para 30 de junho de 2019.

Uma das reclamações dos despachantes é que com o modelo antigo de emplacamento, eles solicitavam as placas para instalação. Com o modelo atual, ela pode ser instalada em qualquer lugar, pois possuem QR code.

De acordo com eles, acontece também a dificuldade de emitir a documentação.

Anteriormente, o que era realizado pela categoria passou a ser função de um estampador, ou seja, fabricante de placas.

Além disso, outra preocupação é com o valor comercializado pela nova placa, que hoje custa entre R$ 150 e R$ 200 o par. Em alguns estados esse valor chega a R$ 800.

Na atual situação do país gerar mais ônus para a população beira o absurdo.

De acordo com o presidente do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), Maurício Pereira, o preço deverá baixar razoavelmente durante 2019.

Há muitas dúvidas sobre a nova placa entre os motoristas. Algumas reclamações são relacionadas ao tamanho, que gera dificuldades em veículos maiores, como picapes.

Outras questões, como a necessidade de um QR Code e o lacre das placas, são fatores de dúvidas em relação aos novos modelos.

Parquímetros

Assim que a Placa Mercosul for adotada em Mato Grosso, os rondonopolitanos deverão ter um problema se o sistema digital do parquímetro não for atualizado para receber os dados das novas placas.

Nas placas de modelo antigo, a combinação era feita com três letras e quatro números. As novas placas contam com quatro letras e três números.

Luz no fim do túnel

O presidente Jair Bolsonaro, em entrevista ao programa Brasil Urgente, informou que pediu um estudo para analisar a possibilidade de acabar com as placas modelo Mercosul no Brasil.

“Eu acredito que não é bem vinda a questão da mudança de placas. Posso até ser demovido dessa ideia, mas no que depender de mim, nós vamos botar um ponto final nisso daí”, disse.